Trump proíbe que transsexuais sirvam nas forças armadas dos EUA

Anúncio contraria medida adotada no ano passado pelo governo Obama e transsexuais já recrutados ficam com destino incerto

Presidente Donald Trump fez o anúncio da decisão pelo Twitter | Foto: Reprodução / Facebook

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou nesta quarta-feira (26/7) sua decis├úo de proibir que os transsexuais sirvam nas for├ºas armadas do pa├¡s, ap├│s ter consultado “generais e especialistas militares.”

Trump fez o an├║ncio por meio de sua conta pessoal no Twitter e detalhou que seu governo “n├úo aceitar├í nem permitir├í” que pessoas transg├¬nero “sirvam em nenhuma capacidade” nas for├ºas armadas americanas.

“As nossas for├ºas armadas devem se concentrar em vit├│rias decisivas e extraordin├írias, e n├úo podem se preocupar com os tremendos custos e interrup├º├Áes m├®dicas que seriam causadas por transg├¬neros entre os militares”, argumentou Trump em outro tweet.

Em junho de 2016, o ent├úo secret├írio de Defesa dos EUA, Ashton Carter, anunciou em uma coletiva de imprensa no Pent├ígono que, “com efeito imediato”, as for├ºas armadas estavam abertas aos transsexuais.

Depois o governo de Barack Obama, cujo mandato terminou no último mês de janeiro, fixou o dia 1º de julho de 2017 como data para começar a recrutar transsexuais para as tropas.

No entanto, o Pent├ígono anunciou apenas algumas horas antes desse prazo, em 30 de junho, um adiamento de seis meses, at├® 1┬║ janeiro de 2018, do recrutamento de transsexuais para ajudar nas for├ºas armadas.

Durante este per├¡odo seriam revisados os planos de ades├úo dos transsexuais e o poss├¡vel “impacto” na prepara├º├úo “e poder letal” das for├ºas armadas, detalhou ent├úo o Pent├ígono.

Esse adiamento n├úo afetava os transsexuais que j├í se encontram servindo as for├ºas armadas e cujo futuro ├® incerto com a decis├úo anunciada hoje por Trump, que n├úo detalhou em seus tweets quando e como se aplicar├í essa proibi├º├úo.

Durante a campanha eleitoral de 2016, Trump se orgulhava de dizer ser um “amigo” da comunidade LGBT (l├®sbicas, gay, bissexuais e transg├¬nero).

Al├®m disso, em janeiro, apenas alguns dias ap├│s chegar ├á Casa Branca, Trump prometeu a continuidade de uma ordem executiva de Obama que pro├¡be as empresas que tenham contratos com o governo federal de discriminar seus funcion├írios LGBT.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.