Três detidos pela Operação Decantação deixam prisão

Investigados foram liberados depois de cumprir os cinco dias de prisão temporária mas permanecem afastados de seus cargos na Saneago

Justiça libera presidente da Saneago, José Taveira; presidente do PSDB em Goiás, Afrêni Gonçalves e diretor da Saneago, Robson Salazar | Fotos: Jornal Opção

Justiça libera presidente da Saneago, José Taveira; presidente do PSDB em Goiás, Afrêni Gonçalves e diretor da Saneago, Robson Salazar | Fotos: Jornal Opção

Foram soltos no início desta segunda-feira (29/8) três presos presos suspeitos de envolvimento nos esquema investigado pela Operação Decantação, que apura esquema de corrupção e desvio de verba na empresa de Saneamento de Goiás (Saneago). Por volta da meia-noite, deixaram o Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia o presidente da Saneago, José Taveira; o diretor de Expansão da empresa e presidente do PSDB em Goiás, Afrêni Gonçalves, e o diretor de Gestão Corporativa, Robson Salazar.

Os três cumpriram os cinco dias relativos à prisão temporária e foram liberados depois que a juíza federal Rachel Soares Chiarelli indeferiu no último domingo (28/8) o pedido do Ministério Público Federal (MPF) para transformar a prisão dos suspeitos de temporária em preventiva.

Segundo entendimento da juíza, o pedido do MPF não traz novos elementos suficientes para estender a prisão dos suspeitos. Eles estavam detidos desde a última quarta-feira (24/8), quando foi deflagrada a operação.

Eles estavam detidos desde a última quarta-feira (24), quando a operação foi deflagrada. Outras 12 pessoas foram levadas naquela data.

Embora os investigados sejam liberados, estes permanecem afastado de suas funções públicas, pelo prazo de 120 dias.

Operação Decantação foi deflagrada com o objetivo de desarticular uma organização criminosa responsável pelo desvio de pelo menos R$ 4,5 milhões em recursos federais a partir de uma empresa pública do estado de Goiás. A ação, que contou com apoio do Ministério Público Federal e do Ministério da Transparência, Fiscalização e Controle, evitou um prejuízo de quase R$ 7 milhões

Na quarta-feira (24), cerca de 300 policiais federais cumpriram 120 mandados judiciais, sendo 11 de prisão preventiva, quatro de prisão temporária, 21 de condução coercitiva e 67 de busca e apreensão na Saneago, na sede de empresas envolvidas e do PSDB, além de residências e outros endereços relacionados aos investigados.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.