Transição de Marconi para Zé Eliton tem início em Goiás

Vice-governador foi protagonista na apresentação da proposta orçamentária de 2018, que coordenará aplicação a partir de abril

Vice-governador apresenta proposta orçamentária | Foto: André Saddi

A apresentação da proposta orçamentária de 2018 em coletiva à imprensa na tarde desta segunda-feira (2/10), no 10° andar do Palácio Pedro Ludovico Teixeira, indica que começou o processo de transição do comando do governo de Goiás, que passará para as mãos do vice-governador Zé Eliton em abril do próximo ano, após a desincompatibilização do governador Marconi Perillo (ambos do PSDB).

Assim como em outras ações governamentais, o vice-governador assumiu o papel de protagonista na articulação, discussão com presidentes de outros poderes e com equipe econômica do governo do projeto de Lei Orçamentária Anual (LOA), encaminhada para apreciação dos deputados estaduais na última sexta-feira (29/9).

Ao lado dos secretários João Furtado (Fazenda) e Joaquim Mesquita (Segplan), Zé Eliton comandou a coletiva com a imprensa. E uma das principais mensagens que buscou passar aos jornalistas tanto na abertura da conversa com o jornalista e durante as perguntas, é que a discussão e a apresentação do orçamento passou por essa etapa de transição dentro do governo, comandada a quatros mãos pelo governador e o vice.

“Quero agradecer muito a equipe econômica que trabalhou com afinco, destacar o empenho do governador Marconi em fazer essa transição já há muito tempo idealizada por ele, porque já estamos chegando ao momento muito forte, e sinalizando de maneira muito clara que essa é uma posição do governador e uma posição minha e que terá sequência em todos os momentos onde nós estivermos com a responsabilidade dada pela população para gerir as políticas públicas desenvolvidas pelo estado de Goiás”, disse Zé Eliton.

Durante a apresentação, o vice-governador procurou mostrar a sua marca na definição dos números que executará em dois dos três quadrimestres do próximo ano. Zé Eliton ressaltou que a LOA terá dois pilares: o da austeridade e de investimentos, o último com enfoque no Goiás na Frente, programa que coordena.

“A posição adotada pelo governo é de estabelecer uma política orçamentária real, com base em dados e elementos que estarão consolidados na execução orçamentária, seguindo o modelo de outros países, especialmente países europeus que buscam formalizar por meio da lei orçamentária todas as premissas de execução de ações”, completou.

Além da austeridade, o vice-governador destacou que outra premissa que balizará todo o orçamento será a “execução plena” do programa de investimentos do Estado. “Todas as projeções de serviços, obras e ações previstas no Goiás na Frente estão contempladas nesse orçamento”, completou.

Conversas

No final da última semana, Zé Eliton intensificou as conversas para fechar os números do orçamento de 2018. Concomitante as reuniões com as equipes técnicas, o vice chegou a encontrar com o presidente do Tribunal de Justiça, na última sexta-feira (29). O encontro começou com a presença do governador Marconi e foi encerrado em uma conversa a sós entre o vice-governador e o magistrado em uma sala reservada no teatro João Alves de Queiroz, após solenidade de posse dos novos defensores públicos.

No mesmo dia, Eliton também se reuniu com o procurador-geral de Justiça de Goiás, Benedito Torres, na sede do Ministério Público, em uma reunião que durou mais de uma hora. No mesmo dia, Zé Eliton também chegou a conversar com o presidente da Assembleia, José Vitti.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.