Trabalhadores são resgatados em situação análoga à escravidão em Santo Antônio do Descoberto

Dez homens estavam alojados em casas improvisadas, sem móveis, sujas e dormiam em colchões e pedaços de espuma; esgoto que saía das casas era despejado em um rio, onde os trabalhadores tiravam água pra beber

Fiscais do Ministério do Trabalho e Previdência resgataram dez trabalhadores localizados em situação análoga à escravidão. Os homens estavam na cidade de Santo Antônio do Descoberto, no entorno do Distrito Federal. Eles trabalhavam na extração de eucalipto.

O resgate foi feito por auditores-fiscais no dia 17 deste mês, mas informações foram divulgadas nesta última sexta-feira, 20. Sete trabalhadores eram da Paraíba e ou outros três moravam no Entorno do DF, segundo o MTP.

Os homens estavam alojados em casas improvisadas, sem móveis, sujas e dormiam em colchões e pedaços de espuma. Segundo o auditor-fiscal, Marcelo Campos, em uma das residências, havia morcegos e o banheiro não tinha pia, descarga e nem água quente no chuveiro. Segundo governo, o esgoto que saía das casas era despejado em um rio, onde os trabalhadores tiravam água pra beber. Além disso, não eram fornecidos equipamentos de proteção individual.

O governo divulgou que, após notificação, o empregador firmou um termo de ajustamento de conduta e pagamento de R$ 33 mil. Ainda de acordo com informe do governo, parte do valor foi pago aos trabalhadores e foi garantido o retorno deles para suas cidades de origem. Aos homens também foram entregues as guias de Seguro-Desemprego do Trabalhador Resgatado para os trabalhadores que possuíam cadastro no PIS. De acordo com MTP, cada um deles terá direito a três parcelas do seguro-desemprego especial, cada um no valor de um salário mínimo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.