Trabalhadores da Comurg reivindicam pagamento de benefícios atrasados

Categoria marcou presença na Câmara Municipal de Goiânia para sensibilizar legislativo e executivo em prol de suas bandeiras; procurada pelo Jornal Opção, Comurg afirma que pendências serão sanadas ainda esta semana

Durante sessão plenária desta terça-feira, 4, mais de sessenta trabalhadores da Comurg estiveram na Câmara Municipal de Goiânia em prol de reivindicações da categoria. Segurando cartazes com escritos ‘estatutário já’, os presentes cobraram a conversão do regime seletista em estatutário e o pagamento de benefícios atrasados. Procurada pelo Jornal Opção, a Comurg afirmou que as pendências serão pagas ainda esta semana.

Parte da liderança do movimento explicou que o principal desejo da categoria é a verificação dos descontos da folha de pagamentos dos funcionários da Comurg.

“Os funcionários estão sendo prejudicados pelos descontos. Tem funcionário que perdeu cerca de mil reais no pagamento de setembro. Era pra termos recebido esse dinheiro em outubro, mas não recebemos”, pontuou, além de explicar que a procura pelos vereadores foi com a intenção de obter um novo apoio à causa. “Desejamos que os vereadores corram atrás e saibam por que estão acontecendo esses descontos”, afirma Cristina Alcântara, líder do movimento.

Já Luciano Soares, que é o organizador geral do Estatutário Já, menciona que a ‘estabilidade’ que o concurso prestado pelos trabalhadores deveria fornecer também é uma questão pela qual a categoria atualmente luta. “A Comurg vive mandando vários servidores embora e não é feito nada”, pontua. Ele próprio se coloca nessa situação, ao afirmar ter sido demitido sem processo administrativo ou qualquer justificativa. “Cheguei para trabalhar e fui demitido por fazer parte do movimento”, diz.

Apoiador do movimento, o vereador Henrique Alves (MDB) afirma já ter, inclusive, conversado com o prefeito de Goiânia, Rogério Cruz (Republicanos), sobre o tema, em prol de apoio aos servidores. Durante o encontro, a própria conversão para estatutário foi mencionada. “O prefeito já tem conhecimento, já fizemos requerimento e a Prefeitura, através da procuradoria, está fazendo estudos para saber se é viável ou não fazer essa conversão”, explicou.

o vice-presidente da Casa, Clécio Alves não concordou com a reivindicação dos trabalhadores ao legislativo. “Esse não é o caminho. Vocês estão sendo enganados. Não tem vereador ou vereadora que tem autoridade ou prerrogativa de mudar regime tributário da Comurg de seletista pra estatutário. Isso se chama cheque sem fundo. Se vier da forma correta, tem que vier do prefeito por um projeto de lei, se vier assim eu e o vereador Izidio seremos o primeiros a apoiar”, opinou. Henrique, no entanto, explica que a intenção da categoria era a sensibilização dos vereadores e do próprio Executivo para que a conversão fosse realizada.

Anderson Sales Bokão (DEM) também se manifestou em favor dos manifestantes. “O que eles estão pedindo aqui, além da questão do estatutário, são os benefícios que tiraram da alimentação deles. São os benefícios que eles têm direito mas quando chegou a folha de pagamento tiraram deles. Faz falta”, opinou.

Procurada pelo Jornal Opção, a Comurg afirmou que o pagamento das pendências será realizado ainda esta semana, nesta sexta-feira, 5. Confira a nota na íntegra:

“A Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg) informa que todos os benefícios estão sendo pagos aos colaboradores conforme acordo coletivo celebrado com o sindicato responsável – Seacons –  e que algumas adequações necessárias foram feitas. 

Um novo sistema de gestão vem sendo implantado desde agosto, saindo do âmbito da prefeitura para a Companhia,  e alguns equívocos foram registrados. A fim de sanar as pendências, uma folha suplementar de pagamento será liberada no dia 05/11. 

Pedimos desculpas pelos transtornos e reiteramos que estamos à disposição para o  diálogo e negociação referentes aos casos específicos.”

2 respostas para “Trabalhadores da Comurg reivindicam pagamento de benefícios atrasados”

  1. Avatar Francisco disse:

    Nos servidores já faz muito tempo que só termos descontos no sentido de diminuir salários que já é pouco. Não temos o reconhecimento quê merecemos.

  2. Avatar Carlos Roberto dias de oliveira disse:

    Sou funcionário! E não participei de nenhum acordo coletivo .E qual funcionário que vai assinar um acordo coletivo que abaixa seu próprio salário?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.