TJ propõe criação de 86 novos cartórios extrajudiciais em Goiás

Projeto de reestruturação apresentado ao governador prevê mudanças em 147 serventias pelo Estado

Foto: divulgação

O presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJ-GO), desembargador Gilberto Marques Filho, apresentou ao governador Marconi Perillo (PSDB), no início da tarde desta terça-feira (28/11), o projeto de lei que promove mudanças no serviço cartorário extrajudicial do Estado de Goiás.

A proposta, adiantada com exclusividade pelo Jornal Opção, prevê a reestruturação de 147 serventias; 43 serão desmembradas, 40 serão criadas e três extintas, resultando em 233 unidades extrajudiciais. Com isso, o Estado contará com acréscimo de 86 novos cartórios.

O projeto segue agora para apreciação da Assembleia Legislativa do Estado de Goiás e, caso aprovado, quebrará um período de quatro décadas sem qualquer reformulação dos serviços prestados à sociedade. A reestruturação atende a determinações do Conselho Nacional de Justiça.

Atualmente, são 564 serventias no Estado, sendo que na capital, por exemplo, há apenas 18 cartórios de registros e tabelionatos para uma população de 1,4 milhão.

Com a reestruturação, que foi proposta pela atual presidência em parceria com a Corregedoria, o TJ-GO irá abrir vagas para concurso público para preencher as novas serventias. “A meta primordial é beneficiar os usuários, com a maior proximidade e, consequentemente, maior agilidade nos serviços. O setor produtivo também irá ganhar com essa reestruturação, principalmente no interior do Estado”, explica.

meta primordial beneficiar os usuários, com a maior proximidade e, consequentemente, maior agilidade nos serviços. O setor produtivo também irá ganhar com essa reestruturação, principalmente no interior do Estado.

 

6 respostas para “TJ propõe criação de 86 novos cartórios extrajudiciais em Goiás”

  1. ziro disse:

    Na minha modesta opinião, cartório é sinônimo de retrocesso, coronelismo, reduto, burocracia, custos desnecessários, forma de tomar dinheiro do trabalhador, ou seja, é mais uma boquinha para os amigos do rei. Enquanto, pela promessa de afastar do Estado, o bitcoin dispara no mercado internacional da internet.

  2. Bruno disse:

    Criar cartório é dar vida boa pra alguém. Não tem nada mais ultrapassado que cartório extrajudicial. Existe isso em países mais ricos? Claro que não! Vão fazer mais concursos e consequentemente, aumentar o imposto dos goianienses pra manter a vida de boa desses novos donos de cartório!

  3. JOSE ANTONIO MOREIRA disse:

    Para o Tribunal quanto mais cartorios melhor, é mais dinheiro entrando nos cofres. Goiás já ultrapassou SP no valor dos emolumentos mais caros cobrados no Brasil, enquanto um reconhecimento de firma com valor comercial em SP é R$11,60 aqui custa a bagatela de R$ 45,00 um absurdo pela péssima qualidade de atendimento em que cartorários se acham no direito de desfazer dos cidadãos e prestar um atendimento de péssima qualidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.