TJ mantém liminar que permite reabertura de academias

Ministério Público tentou derrubar a decisão, mas justiça negou pedido

O Tribuna de Justiça de Goiás recusou o pedido de liminar feito pelo Ministério Público que pedia que as academias continuassem fechadas. Com a decisão, esses estabelecimentos poderão reabrir suas portas e receber os alunos seguindo algumas regras impostas.

Na quinta-feira, 21, a justiça já havia concedido uma liminar que permitia a abertura das academias em Goiás. Segundo a decisão, esses estabelecimentos deveriam ser incluído na lista de serviços essenciais. O Ministério Público do Estado entrou com um pedido para derrubar essa decisão, e manter as academias fechadas, mas a justiça decidiu a favor da a reabertura.

Desde o primeiro decreto assinado pelo governador Ronaldo Caiado (DEM) ainda no mês de março, as academias seguem fechadas como forma de evitar o contágio pelo coronavírus. A decisão que permite a abertura foi a pedido do Sindicato dos Profissionais em Educação Física do Estado de Goiás (Sinpef-GO).

A decisão da justiça que permite a reabertura das academias exige que elas recebam alunos até 30% da capacidade total. Também é exigida a higienização mais rígida e o distanciamento durante as atividades.

O presidente Jair Bolsonaro já havia defendido a reabertura das academias de ginástica. Em um decreto federal ele inclui, além das academias, salões de beleza e barbearias como “atividades essenciais”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.