O candidato reforça o compromisso de cuidar da Capital pelo mandato inteiro

Vanderlan Cardoso afirmou na manhã desta quinta-feira, 15, que vai cumprir os quatro anos à frente da Prefeitura de Goiânia. “O que nós temos para fazer em Goiânia não dá para ser em um ano ou em um ano e meio. Nós temos um projeto de quatro anos e eu quero ficar na história como um dos melhores ou o melhor prefeito que cidade já teve”.

Em entrevista ao jornal O Popular, o candidato disse que o “executivo está no sangue” e que, mesmo sendo muito agradecido pelos mais de 1.7 milhão de votos de teve para o Senado, quer poder contribuir mais diretamente para o novo momento que Goiânia precisa viver. “Eu sei como fazer e é por isso que eu tenho apresentado os projetos e temos sido bem recebidos”.

A respeito da vaga no Senado, Vanderlan afirmou que Goiás não vai perder um senador, mas vai ganhar um parlamentar muito qualificado, caso seja eleito prefeito de Goiânia. O suplente a quem o candidato se refere é o ex-deputado federal Pedro Chaves (MDB).

“Agora, eu quero ser o melhor prefeito que Goiânia já teve. Não menosprezando nenhuma administração. Eu quero avançar. Eu quero fazer com que Goiânia seja uma cidade de oportunidade para todos”.

Projetos

Vanderlan falou das regionais administrativas, que vão levar a estrutura da prefeitura para todas as regiões da cidade. Segundo ele, as críticas do adversário de que essa proposta é atrasada não tem fundamentos. Ele deu o exemplo dos serviços da Comurg e Saúde. “Uma árvore que é cortada na região Noroeste precisa ter destinação ali mesmo. Um buraco, um atendimento na saúde. Tudo tem de estar perto das pessoas e tudo isso é papel da prefeitura”.

O outro grande projeto apresentado são os polos de desenvolvimento. De acordo com o candidato do PSD, esses espaços não são construções grandiosas, mas pequenos polos, para incentivar o pequeno fabricante, o dono de confecções, calçados, até fábricas de móveis de médio porte e distritos industriais, sempre pensando em produções não poluentes e que não agridam o meio ambiente.

A coligação Goiânia em um Novo Momento é composta por sete partidos, incluindo o PSD, que encabeça a chapa: PSD, PSC, Democratas, Progressistas, PTB, PMN e Avante.