Temer faz perícia própria e desiste de suspender inquérito contra ele no Supremo

Decisão foi tomada após o anúncio de que a Corte autorizou a Polícia Federal a realizar uma perícia no áudio entregue por Joesley Batista

Após pronunciamento no último sábado (20/5) em que dizia que entraria com pedido no Supremo Tribunal Federal (STF) para suspender o inquérito contra ele, o presidente Michel Temer anunciou, através de sua defesa, que desistiu do pedido nesta segunda-feira (22).

De acordo com um dos representantes de Temer, a defesa contratou uma perícia particular para analisar o áudio. Segundo o advogado, foram encontrados “70 pontos de obscuridade no material”.

“A defesa do presidente apresentou petição dizendo agora: nos sentimos atendidos com o deferimento da perícia [oficial] e a partir desse laudo que nós juntamos agora, que nos dá segurança, nós queremos agora que isso se resolva o mais rapidamente possível”, disse.

STF

A decisão dos representantes de Temer foi tomada após anúncio da presidente do STF, Cármem Lúcia, que afirmou que o recurso do presidente será julgado somente após a conclusão da perícia pela Polícia Federal no áudio entregue pelo empresário Joesley Batista em seu depoimento de delação premiada.

No sábado (27), o ministro Edson Fachin, relator da investigação sobre o presidente na Corte, pediu que o recurso fosse incluído na pauta de julgamento. A tendência era que o recurso fosse julgado na próxima quarta-feira (24), mas a conclusão os trabalhos periciais da PF será necessária para que a data seja mantida.

A abertura do inquérito por corrupção passiva, organização criminosa e obstrução da Justiça foi autorizada pelo ministro na quinta-feira (18), a pedido da Procuradoria Geral da República (PGR).

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.