Temer exonera 10 ministros para votação de denúncia na Câmara

Integrantes do primeiro escalão do governo retomam mandato de deputados para reforçar a base na Congresso

Temer foi denunciado por corrupção passiva | Foto: Divulgação

O Diário Oficial da União publica nesta quarta-feira (2/8) decretos assinados pelo presidente Michel Temer, com as exonerações de dez ministros de Estado. Eles retornam ao cargo de deputado para participar da sessão na Câmara que votará o parecer da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), contrário à admissibilidade da denúncia contra Temer pelo suposto crime de corrupção passiva. O início da sessão está marcado para as 9 horas e os trabalhos devem se estender por todo o dia.

São os seguintes os ministros exonerados: Antonio Imbassahy (PSDB), chefe da Secretaria de Governo da Presidência da República; José Mendonça Filho (DEM), do Ministério da Educação; Bruno Cavalcanti Araújo (PSDB), do Ministério das Cidades; Fernando Bezerra (PSB), do Ministério de Minas e Energia; Osmar Terra (PMDB), do Ministério do Desenvolvimento Social; Leonardo Picciani (PMDB), do Ministério do Esporte; José Sarney Filho (PV), do Ministério do Meio Ambiente; Ronaldo Nogueira (PTB), do Ministério do Trabalho; Marx Beltrão (PMDB), do Ministério do Turismo; e Maurício Quintella (PR), do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil.

A discussão da denúncia só poderá ser iniciada quando estiverem presentes no plenário pelo menos 52 deputados. A votação só pode começar com a presença de 342 parlamentares em plenário e será feita por chamada nominal, começando pelos deputados de um estado da Região Norte e, em seguida, os deputados de um estado da Região Sul.

Algumas restrições de acesso à Câmara foram estabelecidas para a sessão de hoje, entre elas a proibição da entrada de visitantes. O acesso só será permitido a deputados, ex-deputados, servidores credenciados e à imprensa credenciada para a cobertura das atividades da Câmara.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.