Técnica de enfermagem pode ter roubado bebê para entregar a prima que não podia ter filhos

Delegado informou que Elenita pode responder por subtração de incapazes, junto à prima, o esposo e à tia, e cumprir pena de dois a seis anos

Foto: Polícia Civil

Em coletiva dada na tarde desta quinta-feira, 30, o delegado Wellington Ferreira deu detalhes sobre o caso do bebê recém-nascido, que foi roubado do hospital Maternidade Nascer Cidadão, em Goiânia, pela técnica de enfermagem Elenita Aparecida Lucas Correia, 41 anos.

Segundo ele, é possível que Elenita tenha pegado a criança para dar à sua prima Luana Lucas Soares Rocha, 34, e o respectivo marido, Leonardo Gonzaga Rocha, 36, que não podiam ter filhos.

Luana ficou grávida recentemente, mas, aos seis meses de gestação, perdeu o bebê e teve que retirar o útero. Cogita-se que essa tenha sido a motivação do roubo pela prima.

Elenita deixou o recém-nascido às 6h da manhã na casa da tia, mãe de Luana, Élida Correia Dantas, 65. O bebê foi encontrado com o casal às 14h30, que não informou à polícia que estavam com uma criança. Luana e Leonardo negaram a intenção de ficar com o bebê.

De acordo com o delegado, os quatro podem responder pelo crime de subtração de incapaz, que consiste, de acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) em “subtrair criança ou adolescente ao poder de quem o tem sob sua guarda em virtude de lei ou ordem judicial, com o fim de colocação em lar substituto”.

A pena pode ser de reclusão de dois a seis anos ou multa. Criança foi levada em moto por 30 km do hospital à casa da tia.

Uma resposta para “Técnica de enfermagem pode ter roubado bebê para entregar a prima que não podia ter filhos”

  1. Thaynara Sulamery disse:

    Nem toda criança precisava passar pelo tempo de falta de afeto. Sr uma mãe disse não QUERO, e outra família disse EU POSSO CUIDAR, porque a justiça não intervém pra ajudar essa criança a ser amada. A lei na maior das vezes é muito injusta. Vai levar presa uma mulher disponível pra maternidade, e vai ficar solta quem abandonou o incapaz? Não estou etendendo nada dessa história. Porque o Conselho tutelar não ajuda essa família dando suporte e apoio na criação dessa criança? Por mim a lei tinha era que apoiar quem não pode gerar é quer cuidar dos filhos das que não querem amar. Eu sei lá… por mim as coisas seriam diferentes.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.