Ainda com um percentual de mortes de 2,2% dos contaminados, o Estado passa dos 5 mil óbitos por Covid-19

Secretário de Saúde, Ismael Alexandrino | Foto: Francisco Costa/Jornal Opção

Durante a prestação de contas na Comissão de Finanças da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), o secretário de Estado da Saúde, Ismael Alexandrino, repassou uma séria de informações referente aos gastos e combate a Covid-19 no Estado.

Um dos pontos que podem ser considerados positivos é que a taxa de letalidade em Goiás é de 2,2%, abaixo da média nacional. Porém, apesar de estável, o número de casos registrados diariamente no Estado ainda é alto. Com média diária acima dos 2 mil infectados e já foram registrados mais de 5 mil óbitos. Mas ele assinalou, por outro lado, que passa de 95% a taxa de recuperados.

Ele informa que o índice de profissionais de saúde contaminados pela Covid-19 em Goiás chega a 2,8%, com predominância entre enfermeiros, médicos e fisioterapeutas.

Segundo Alexandrino, cerca de 48% dos testes realizados no estado até agora deram resultados positivos. Informou também que foram criados 363 leitos destinados a doentes contaminados pela covid-19, sendo que 320 estão ativos em hospitais de campanha e outras unidades de saúde.

Leitos permanecem

O secretário adiantou que todos esses leitos continuarão ativos após as medidas restritivas, o que, segundo ele, vai desafogar a grande demanda que havia antes do surgimento da pandemia.  “Em nenhum momento, os doentes ficaram desassistidos por falta de UTIs. Todos estes leitos permancerão no pós-pandemia, o que permitirá a realização de muitas cirurgias eletivas”, frisou.

Afirmou também que o Governo já destinou 12,96% do orçamento do Estado para a saúde, cumprindo a vinculação constitucional antes do prazo limite de dezembro. “Em virtude da pandemia do novo coronavírus, o Tesouro Estadual repassou mais recursos”, assinalou. (Com informações da Agência Assembleia)