Tag que pede impeachment de Bolsonaro é o assunto mais comentado no Twitter

Internautas utilizaram fala antiga do presidente, que dava razão a vontade popular no impedimento de Dilma Rousseff

Foto: Valter Campanato / Agência Brasil

A hashtag #ImpeachmentBolsonaro é principal dos trending topics do Twiiter nesta sexta-feira, 17. Além das últimas declarações do presidente Jair Bolsonaro (PSL), um dos gatilhos para as manifestações do microblog pode ter sido o artigo do jornalista Reinaldo de Azevedo à Folha, publicado na madruga desta sexta, 17.

Intitulado, “Impeachment de Bolsonaro entra no radar; assistimos a um filme previsível, com roteiro desconjuntado e bufões da pior espécie”, o texto faz um alerta: “Se continuar a ouvir apenas a horda de malucos que o cerca, não conclui o seu mandato”.

Argumento

Em mais uma previsão, o profissional de imprensa afirma que “o Planalto, por intermédio dos seus incendiários, acordou as muitas e justas insatisfações de brasileiros das mais diversas extrações. O próprio Bolsonaro, seus filhos, Carvalho, este espantoso Abraham Weintraub… Essa gente toda é, para esse governo, o que o esquerdista Movimento Passe Livre foi para o governo Dilma. Tentando animar seus fanáticos, deu unidade ao coro dos contrários”.

Em outro momento, o Azevedo, que foi um tenaz crítico do governo, diz que Bolsonaro nunca soube por que queria o mandato. “Ou por outra: não tinha uma prefiguração afirmativa de razões para comandar o país. O cargo lhe serve apenas para se vingar de seus inimigos ideológicos ou do fiscal do Ibama que um dia o multou”.

Redes sociais

Pelo Twitter, alguns internautas engajados com a hashtag utilizaram o espaço para lembrar de uma fala do então deputado federal Bolsonaro, em 8 de janeiro de 2015. “O povo é soberano. Quando ele pede o impeachment, é porque o governante só faz m@#$”, publicou o hoje presidente, à época.

“Dessa vez tenho que concordar com ele”, disse um dos muitos internautas que replicaram a fala de Jair. Nem o presidente, nem seus filhos e principais aliados se manifestaram sobre o tema.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.