Alan dos Santos um dos suspeitos de atentado com bomba próximo ao Aeroporto de Brasília, em 24 de dezembro de 2022, se entregou à Polícia Civil no Mato Grosso. O suspeito foi reconhecido pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) como um dos parceiros do extremista George Washignton de Oliveira já preso pela suspeita do crime.

Alan era procurado pela Polícia Civil, porque virou réu pelo envolvimento no caso. Agora, ele será encaminhado para Brasília, onde deve ser ouvido e com a prisão mantida.

Após a prisão, o secretário-executivo do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Cappelli, interventor na segurança do Distrito Federal, usou as redes sociais para publicar foto do suspeito e comentar que “a lei será cumprida”, escreveu.

Alan, junto com Washington de Oliveira Sousa e Welligton Macedo de Souza, são réus desde que a Justiça do Distrito Federal aceitou a denúncia contra eles. O juiz Osvaldo Tovani, da 8ª Vara Criminal de Brasília, é da primeira instância, atendeu ao pedido do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), depois das investigações da Polícia Civil sobre o atentado.

Na véspera do Natal do ano passado, as equipes da Polícia Militar (PMDF) e do Corpo de Bombeiros (CBMDF), com apoio da Polícia Federal (PF) e da Polícia Civil (PCDF), se mobilizaram próximo ao Aeroporto de Brasília para desarmar uma bomba com potencial de gerar sérios danos à região.