Superintendente da Zona Franca de Manaus defende manutenção de incentivos fiscais

Ele considera que essa política de descontos significantes nos impostos para instalação de empresas mantem a Floresta Amazônica de pé

Trecho da reforma tributário, que está na Câmara dos Deputados, sugere extinguir benefícios fiscais à Zona Franca de Manaus (Suframa). O superintendente da região, Alfredo Menezes, criticou a proposta do deputado federal Baleia Rossi (MDB-SP) ao jornal O Estado de São Paulo.

Menezes frisou que a Zona Franca possui especificidades e, por esse motivo, os benefícios fiscais deveriam se manter. Ele considera que essa política de descontos significantes nos impostos para instalação de empresas mantem a Floresta Amazônica de pé.

“Nosso modelo gera benefícios para fora. Em 2017, nós geramos 800 mil empregos diretos e indiretos fora da nossa região. Infelizmente muitos economistas não conhecem a nossa região. Eles não andam na floresta e não entenderam a finalidade da criação desses modelos”, argumentou.

Texto disputado, a reforma tributária tem a versão escrita por parlamentares, mas o Jair Bolsonaro (PSL) e Paulo Guedes já anunciaram que irão apresentar uma versão do Executivo. O ministro da Economia, no entanto, já fez críticas à política de incentivos da Suframa, apontando para a possibilidade de o texto do Planalto conter proposta semelhante.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.