STJ nega habeas corpus a pastores de Goiás presos por aplicar golpe de R$ 15 milhões em fiéis

Eles foram presos em maio deste ano na cidade de Goianésia

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou o pedido de liberdade a dois pastores evangélicos presos em Goiás acusados de aplicar golpes que causaram prejuízos estimados em R$ 15 milhões a cerca de 30 vítimas diferentes. A decisão foi do vice-presidente do tribunal, ministro Humberto Martins.

Os pastores Alencar Santos Buriti e Osorio Jose Lopes Júnior foram presos em maio deste ano, na cidade de Goianésia, através da Operação Habacuque.

“O golpe funcionava da seguinte maneira. Os pastores afirmavam que possuíam um título da dívida agrária no valor de mais de R$ 1 bilhão e que precisavam captar dinheiro para bancar alguns custos pra receber o crédito. Então, eles buscaram captar esse valor entre as vítimas com a promessa de que os investidores receberiam até vinte vezes mais que o valor investido. Muitas pessoas venderam carros, imóveis e bens variados e entregaram o dinheiro aos golpistas”, explicou o delegado Marco Antônio Maia Júnior que efetuou a prisão dos suspeitos na época..

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.