A Starbucks recebeu duas ordens de despejo em Belo Horizonte, determinadas pela Justiça de Minas Gerais, em pouco mais de 24 horas. As lojas em questão estão localizadas nos shoppings Boulevard e Minas Shopping. O primeiro despejo foi ordenado na segunda-feira, 27, enquanto o segundo ocorreu na terça-feira, 28.

As ordens de despejo em Minas Gerais foram concedidas devido ao atraso no pagamento de aluguel. O juiz Eduardo Veloso Lago, da 25ª Vara Cível de Belo Horizonte, determinou na segunda-feira a entrega da loja no Boulevard Shopping, movida pelo centro de compras, com um prazo de 15 dias para desocupação. A ação não especifica o valor da dívida, mas a loja permanece aberta.

Na terça-feira, o juiz Cassio Azevedo Fontenelle, da 27ª Comarca Cível da capital, atendeu ao pedido do Minas Shopping, dando à Starbucks 15 dias para desocupar a loja de 110 metros quadrados. A Starbucks já havia fechado o ponto no Minas Shopping em 30 de outubro, acumulando uma dívida de R$ 109.804,49, conforme a ação.

O contrato de aluguel com o centro de compras tinha um prazo de dez anos, de 19 de outubro de 2021 a 18 de outubro de 2031. Tanto o Minas Shopping quanto o Boulevard Shopping optaram por não comentar as ordens de despejo.

A empresa havia pedido recuperação judicial à Justiça de São Paulo em 31 de outubro, com o objetivo de proteger financeiramente algumas operações no Brasil e ajustar seu modelo de negócio à realidade econômica atual.

Em recuperação, loja não vem para Goiânia

A Starbucks Brasil perdeu o direito de utilizar sua marca no país devido ao não cumprimento do pagamento estipulado no acordo de licenciamento. A notificação de rescisão da licença foi recebida em 13 de outubro deste ano, no meio das negociações para revisão do contrato, colocando em risco as operações do grupo SouthRock, que também controla as marcas Subway e Eataly no Brasil.

Havia a previsão da abertura de uma unidade Starbucks no Shopping Flamboyant, em Goiânia. Nesse caso, a loja então pode nem nascer. Procurado sobre a questão da recuperação judicial da empresa, o shopping comunicou em nota que “o anúncio da situação da SouthRock Capital surpreendeu o mercado e o shopping lamenta o cenário, e que a área reservada à marca continuará mantida até a empresa se posicionar.”

Leia também:

Dona de Starbucks e Subway entra com pedido de recuperação judicial

Starbucks perde licença para operar no Brasil, e unidade em Goiânia pode nem nascer