SP: aprovação de Haddad é maior entre ricos do que pobres

Levantamento Datafolha mostra que prefeito de São Paulo é melhor avaliado entre os que têm renda superior a dez salários mínimos

Lula e Haddad durante ato em São Paulo | Foto: Ricardo Stuckert / Instituto Lula

Lula e Haddad durante ato em São Paulo | Foto: Ricardo Stuckert / Instituto Lula

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), tem maior aprovação entre os mais ricos do que os mais pobres. É o que mostra um levantamento do Datafolha divulgado pela Folha de S. Paulo nesta segunda-feira (2/11).

Mesmo assim, os índices “conquistados” pelo petista não foram nada animadores. Apenas 15% dos paulistanos consideram a atual gestão como “boa” ou “ótima”, ao passo que 49% — quase metade da população — a consideram “ruim” ou “péssima”. Cerca de 34% a avaliam como “regular”.

Reduto do PT e trunfo do partido nas últimas eleições, as periferias de São Paulo são onde Haddad tem os piores índices. Para se ter ideia, apenas 12% dos mais pobres (que recebem até dois salários mínimos) aprovam a gestão.

Neste cenário, os que recebem mais de dez salários mínimos são os que mais aprovam o prefeito do PT. 23% deles avaliam a administração como “boa” ou “ótima”.

Haddad deve ser candidato a reeleição no ano que vem, apoiado pelo ex-presidente Lula — seu padrinho político. Contudo, deve enfrentar uma verdadeira pedreira: até agora três fortes candidatos já se anunciaram pré-candidatos.

São eles: Marta Suplicy (ex-PT e atual PMDB), senadora e ex-prefeita da cidade, tem grande aceitação nas periferias da cidade; Celso Russomano (PRB), deputado federal mais votado da cidade, ficou em terceiro nas eleições de 2012; Andrea Matarazzo (PSDB), vereador tucano pode ter apoio do governador Geraldo Alckmin, mesmo não pontuando bem, tem chances de crescer; e Datena (PP), apresentador de TV que anunciou sua candidatura na último mês e já marca dois dígitos nas pesquisas eleitorais.

Uma resposta para “SP: aprovação de Haddad é maior entre ricos do que pobres”

  1. O prefeito petista Fernando Haddad tem sua pior avaliação. É o resultado de sua gestão desastrosa, baseada em ações marqueteiras. Pesa contra ele também a falência do lulopestismo e a policrise política, econômica, ética e social criada por Dilma. A eleição da capital paulista é a mais importante do país. A opinião do governador Geraldo Alckmin é fundamental. Seu apoio pode ser decisivo para eleger o próximo prefeito da cidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.