Sintego protocola pedido de liminar para que aposentados da rede estadual recebam dezembro

Inativos não tiveram acesso ao salário em atraso porque fundos que pagaram servidores da Educação não contemplam categoria

Foto: reprodução/Facebook

A presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Estado de Goiás (Sintego), Bia de Lima afirmou nesta terça-feira que a entidade entrou com pedido de liminar, através de uma da Ação Civil Pública, contra o Estado de Goiás, com o objetivo de que a Justiça determine o pagamento dos salários, 13° Salário e férias dos servidores das escolas públicas de Goiás e aposentados, estes que não receberam nada até hoje. A ação corre na 5ª Vara da Fazenda Pública, da comarca de Goiânia.

De acordo com a ação, os requerimentos são:

  1. Pedir, devido ao atraso, o pagamento com correção monetária e juros, conforme determina o artigo 96 da Constituição Federal;
  2. Incluir, no polo passivo da ação, a GoiásPrev, vez que é o órgão personalizado e responsável pelo pagamento dos/as inativos/as;
  3. Requerer o pagamento também dos/as servidores/as (incluindo professores/as) inativos/as das escolas da rede pública estadual.

O Sintego requer a concessão de liminar para determinar aos réus que, no prazo de 48 horas, efetue o pagamento dos servidores inativos das escolas da rede pública estadual referente ao mês de dezembro de 2018 e para aqueles que possuem direito ao 13° Salário naquele mês, sob pena de pagamento de multa diária de R$ 100.000,00 por dia.

Para o professor Thiago Oliveira Martins o acordo que deixou eles “de fora” mostrou que “é como se não existissem”. “Imagina a situação desse profissional depois de 40 anos de trabalho e agora sem dinheiro? Nós não aceitamos um acordo que deixa os aposentados fora, um acordo espúrio que só contribuí para o abandono de quem tanto contribuiu para a Educação, pessoas que viveram momentos de luta no passado por direitos como o Piso salarial da nossa categoria”, declarou.

Segundo Bia de Lima, a situação dos aposentados está precária. “Nós fizemos peregrinações na GoiásPrev e na Secretaria da Fazenda para cobrar o pagamento dos/as aposentados, mas eles alegam não ter recursos. Nós não vamos abrir mão da paridade no pagamento do pessoal da ativa e dos inativos. Eless são parte da categoria, e devem ter esse direito preservado”, declarou.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Celuta Albuquerque Almeida

O governador Caiado, não esta pagando o pessoal da educação, pq insiste em deixar os milionários comissionados do Tce. Por qual razão ninguém entende. Vamos ver se nessa semana acontece as demissões tão pedidas das famílias goiana. Vamos ver se o governador irá nos atender. Comissionados não pode ter privilégios, ainda mais q la tds são indicações do governo anterior. Como lidar com essa situação? Pedimos ações do governador.

Celuta Albuquerque Almeida

Lamentável essa situação incomoda do Tce.

Celuta Albuquerque Almeida

Pessoal contra o governo e Caiado insiste em mante -los. Lá tds são marconistas.

Arlete Ribeiro

Parabéns à diretoria do Sintego que ouviu o nosso apelo, pois nós aposentados da EDUCAÇÃO estamos sendo tratados com o reio no lombo por esta gestão Caiado, que teve a coragem de ir na Vila São Cotolengo, onde há pessoas simples e em sofrimento pedir perdão. Ridículo! Fazemos parte da categoria da Secretaria da EDUCAÇÃO do Estado de Goiás assim como quem está na ativa. O direito do IDOSO está sendo violado e jogado para escanteio como se fossemos a escória da Sociedade. Saibam todos, que fui eleitora do Sr. Caiado por muitos anos e nutria admiração, porém agora estou… Leia mais

Marcos

Em 1989, com o coração cheio de esperança publiquei uma carta no jornal O Popular onde conclamava o Brasil e principalmente o povo Goiano a se posicionar em favor de Ronaldo Caiado na candidatura à Presidência da República daquele pleito. O referido pleito mencionado era polarizado entre Collor x Lula. Criei o slogan: “Antes de Collorir, temos que Caiar o Brasil”. Como fui inocente e utópico naquela época. Percebo hoje que o Sr. Ronaldo Caiado no cargo executivo, vai pintar de negro o Estado de Goiás, com o extermínio dos aposentados. Esse senhor tem que ser responsabilizado pelo desaparecimento de… Leia mais