Servidores do INSS e do Ministério da Saúde em Goiás aprovam indicativo de greve

Sindicato que representa os trabalhadores no estado e no Tocantins pode parar serviços a partir de 16 de agosto

O Sindicato dos Trabalhadores Federais em Saúde e Previdência nos Estados de Goiás e Tocantins (Sintfesp-GO/TO), aprovou indicativo de greve por tempo indeterminado a partir de 16 de agosto. Referendando posicionamento da categoria nacionalmente, os servidores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e do Ministério da Saúde aguardam resposta do Governo Federal para iniciar ou não a paralisação.

Segundo o diretor de Organização e Política Sindical do Sintfesp, Mauro Oliveira Mota, agora a categoria vai se mobilizar em torno da greve. “Entregamos a nossa pauta ao governo federal ainda em fevereiro e até agora este não manifestou qualquer disposição para negociar”, lamentou ele.

Até agora, segundo ele, o posicionamento do Ministério do Planejamento é de que as demandas da categoria esbarram em questões orçamentárias e na Emenda à Constituição 95, o chamado Teto dos Gastos.

Entre as reivindicações estão a reposição salarial, o estabelecimento de jornada de 30 horas para todos os servidores e a realização imediata de concurso público para suprir a demanda por novos funcionários. De acordo com dados da Associação Nacional dos Servidores da Previdência e da Seguridade Social (Anaps), faltam pelo menos 18 mil servidores técnicos, analistas, peritos, contadores, assistentes sociais e administradores.

Confira a pauta dos servidores:

  1. Reposição salarial;
  2. Cumprimento integral do Acordo de Greve de 2015;
  3. Jornada de 30 horas para todos os servidores;
  4. Realização de concurso público;
  5. Melhores condições de trabalho;
  6. Não ao desmonte dos serviços públicos

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.