Servidores da Educação são feridos em confronto com a Guarda Civil; veja vídeos

Guardas tentaram dispersar multidão com spray de pimenta e cassetetes. Grevistas decidiram registrar ocorrência no 8º DP

Servidores da Educação que ocupavam o Paço Municipal na manhã desta quinta-feira (23/4) entraram em confronto com a Guarda Civil Metropolitana (GCM). Segundo integrantes do Sindicato Municipal dos Trabalhadores da Educação (Simsed), os guardas agrediram os trabalhadores quando eles estavam realizando uma manifestação pelos corredores da sede do governo municipal.

“A categoria decidiu fazer uma manifestação pelos corredores do Paço falando que a greve continua e nós fomos cercados de forma que pareceu premeditada”, afirma Hugo Rincón, integrante do Simsed. O sindicato suspeita que haviam alvos na ação dos guardas, porque as pessoas que ficaram mais feridas faziam parte da coordenação do movimento.

Três pessoas que tiveram ferimentos mais sérios foram encaminhadas para unidades de saúde e outros manifestantes seguiram para o 8º Distrito Policial, onde pretendem registrar Boletim de Ocorrência.

Em nota, a Guarda afirmou que os manifestantes tentaram invadir a Secretaria de Finanças e por isso foram “contidos”. “A determinação era que a manifestação acontecesse na parte externa do prédio. Diante dessa iniciativa do grupo foi necessário utilizar o uso progressivo da força a fim de manter a ordem local, não podendo ser identificado as pessoas que ali estavam”, esclarece a assessoria de imprensa da GCM.

Ainda na nota, a Guarda informa que lamenta o ocorrido e que abusos serão apurados pela Corregedoria.

Veja vídeos de servidores agredidos:

5 respostas para “Servidores da Educação são feridos em confronto com a Guarda Civil; veja vídeos”

  1. Avatar Otoniel Morais disse:

    Esta ideia de invadir local restrito não tinha como dar certo. Questão de boa educação não entrar sem ser convidado. Lamentável, o grande culpado é o prefeito!

  2. Avatar Adnaldo disse:

    Não defendo nem a prefeitura s e nem os funcionários públicos. Mas as negociações deveriam ser feitas educadamente. Qualquer tipo de agreção de insulto são atitudes de ignorantes, e pessoas sem educação. Acordem professores estamos em 2015, vamos praticar a educação.

  3. Avatar Guest disse:

    Um bom dia, eu tenho uma função que de certa forma educa e reprime. O Estado de Direito foi criado pela própria sociedade e este corpo abstrato e ao mesmo tempo subjetivo, que tem sua função de acomodar a sociedade, cuidar, zelar e manter em ordem, para que seja possível esse tal de Estado de Direito usar e cria seus meios para reprimir e conduzir os cidadãos. No entanto a Guarda Municipal é um dos meios criado para que possa exercer seu poder. Se houve uma ordem partida do poder público ela deve ser obedecida, se assim não for passa a ser contraria a lei e o poder público utilizara todo poder necessário para que a sociedade respeite e volte a normalidade. Quando foi dada a ordem conforme relatado e não foi obedecida houve o uso da força embora não observamos neste relato nenhuma fala do agente acusado e só observamos as supostas vitimas. Mas algo escuso aconteceu e se houve abuso com certeza será averiguado e os culpados serão punidos. Mas a razão deverá ser buscada de forma esclarecida nas leis e a quem transgrediu a lei deve sim ser responsabilizado em ambos os lados.

  4. Avatar Coelho disse:

    Um bom dia, eu tenho uma função que de certa forma educa e reprime. O Estado de Direito foi criado pela própria sociedade e este corpo abstrato e ao mesmo tempo subjetivo, que tem sua função de acomodar a sociedade, cuidar, zelar e manter em ordem, para que seja possível esse tal de Estado de Direito usar e cria seus meios para reprimir e conduzir os cidadãos. No entanto a Guarda Municipal é um dos meios criado para que possa exercer seu poder. Se houve uma ordem partida do poder público ela deve ser obedecida, se assim não for passa a ser contraria a lei e o poder público utilizara todo poder necessário para que a sociedade respeite e volte a normalidade. Quando foi dada a ordem conforme relatado e não foi obedecida houve o uso da força embora não observamos neste relato nenhuma fala do agente acusado e só observamos as supostas vitimas. Mas algo escuso aconteceu e se houve abuso com certeza será averiguado e os culpados serão punidos. Mas a razão deverá ser buscada de forma esclarecida nas leis e a quem transgrediu a lei deve sim ser responsabilizado em ambos os lados.

  5. Avatar João Paulo Silveira disse:

    Covardes! É por isso que Goias é uma Porteira eterna!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.