Sem médicos, Cais de Goiânia deixa de atender emergências

Segundo direção da unidade, dois médicos plantonistas faltaram ao trabalho e por isso o atendimento à população foi prejudicado

Cais de Campinas vazio pela falta de médicos | Foto: Rafaela Bernardes / Jornal Opção

Rafaela Bernardes

Os usuários da rede pública de saúde continuam sofrendo com a falta de atendimento nos Cais de Goiânia. Nesta segunda-feira (19/6) foi a vez do Cais de Campinas deixar de atender pacientes que procuravam a emergência da unidade.

Segundo o diretor geral do Cais, Devalmir Oliveira dos Santos, o problema foi provocado pela falta de dois médicos plantonistas que eram os responsáveis pelo atendimento ao público externo que procura o posto de saúde.

“Trabalhamos, diariamente, com dez médicos em cada plantão. Esses profissionais são divididos nas alas da unidade: enfermaria, núcleo de queimaduras, pediatria, reanimação e no setor da emergência. Os oito médicos que estão trabalhando estão atendendo a demanda interna, que é de cerca de 40 pacientes, as crianças, os queimados, os casos de hemodiálise e os pacientes gravíssimos tragos pelos bombeiros e pelo Samu”, explicou o diretor geral da unidade ao Jornal Opção.

Camila Ribeiro Moraes foi uma das pacientes que tiveram que voltar para casa sem atendimento médico. Com falta de ar, dor de cabeça e febre a estudante ouviu que deveria procurar atendimento no Cais do Setor Vila Nova ou voltar amanhã.

“É revoltante a gente procurar ajuda, socorro médico e não conseguir atendimento. Não temos dinheiro para ir para outra unidade de saúde, viemos de ônibus, o jeito vai ser voltar para casa”, desabafou a estudante ao Jornal Opção.

Segundo a direção do Cais de Campinas, a previsão é a de que no plantão da noite a situação esteja resolvida. “Para o plantão noturno, que começa às 19 horas o quadro está completo. Se nenhum médico faltar ao serviço iremos atender a população normalmente”, afirmou Devalmir.

A pedagoga Adriana Agapito, sofreu um acidente doméstico e também ficou revoltada com a falta de atendimento. “Infelizmente temos uma saúde pública que deixa muito a desejar. Imposto nós pagamos, e muito, mas na hora receber os benefícios em forma de serviços prestados ficamos a mercê do descaso”.

Camila e Adriana não conseguiram atendimento no Cais de Campinas Foto: Rafaela Bernardes / Jornal Opção

Chácara do Governador

Os pacientes que procuraram o Cais da Chácara do Governador nesta segunda também voltaram para casa sem atendimento. Isso porque a unidade passa por uma reforma, que começou nesta segunda (19) e que deve ser concluída até quarta-feira (21).

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde explicou que apenas os pacientes considerados graves serão atendidos na unidade durante o período de reforma.

“Devido ao serviço de reforma no Cais Chácara do Governador a unidade tem realizado apenas atendimentos de emergência classificados como casos graves. Os demais pacientes estão sendo orientados a procurar as outras unidades 24 horas da capital”, diz a nota.

Por telefone, o Jornal Opção entrou em contato com o Cais do Bairro Goiá, para onde os pacientes que não foram atendidos no Cais da Chácara do Governador estavam sendo encaminhados, e a informação era de que a unidade estava superlotada, mas com médicos.

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sandro Freitas

Absurdo isso!!