Segunda gêmea siamesa morre por falência múltipla dos órgãos

Recém-nascidas eram unidas pelo tórax e abdômen e compartilhavam o fígado. Elas nasceram no HMI, no dia 10 de dezembro de 2014

Gêmeas faleceram por falência múltipla dos órgãos | Foto: Divulgação

Gêmeas faleceram por falência múltipla dos órgãos | Foto: Divulgação

A gêmea siamesa que passou por cirurgia de separação da irmã faleceu por falência múltipla dos órgãos no início da noite desta sexta-feira (9/1), segundo comunicado do Hospital Materno Infantil (HMI). O estado de saúde de Anny Gabrielly era gravíssimo e suas funções renais estavam comprometidas. Hoje, ela passaria por sessões de hemodiálise. A irmã dela, Anny Beattriz, morreu na madrugada de quinta-feira (8), pelas mesmas causas.

As recém-nascidas foram separadas no dia 3 de janeiro, em uma cirurgia de altíssima complexidade que durou 5 horas. Ao todo, 12 profissionais, entre cirurgiões pediátricos, médicos intensivistas, anestesistas, cardiologista, nefropediatra e enfermeiros participaram da cirurgia.Desde então, estavam internadas na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal do hospital e respiravam com a ajuda de aparelhos.

Na última segunda-feira (5), o médico que cuidava das irmãs, Zacharias Calil, disse durante entrevista coletiva que Anny Beattriz tinha “mais complicações cardíacas” que Anny Gabrielly — que precisava urgentemente de sangue tipo O positivo.

As gêmeas, que eram unidas pelo tórax e abdômen e compartilhavam o fígado, nasceram na unidade de saúde no dia 10 de dezembro de 2014.

As meninas eram filhas do técnico agrícola Jeiel dos Santos, de 25 anos, e Iara Pereira Dourado, de 24. O casal é da Bahia e veio para Goiás em busca do tratamento. Ainda de acordo com Zacharias Calil, o fato raro pode ter sido ocasionado devido ao contato da mãe das crianças com agrotóxicos sete meses antes de engravidar.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.