Secretaria Estadual de Meio Ambiente mantém alerta máximo contra queimadas em Goiás

“Vivemos uma seca muito prolongada, de cerca de 120 dias, com crise hídrica muito grave, que reduziu não só a vazão dos rios, mas também as reservas subterrâneas de água”, diz secretária

Parque Altamiro de Moura Pacheco/Foto: Reprodução

O governo de Goiás mantém o nível de alerta máximo no Estado contra as queimadas. A seca prolongada faz com que a vigilância preventiva precise ser reforçada, já que no de 2019, o índice de chuva está abaixo do normal, criando, portanto, um ambiente propício para focos de incêndio.

“Tivemos menos chuvas em 2019, estamos com uma umidade relativa do ar menor e a fixação de água nas plantas também reduziu dentro deste contexto. Vivemos uma seca muito prolongada, de cerca de 120 dias, com crise hídrica muito grave, que reduziu não só a vazão dos rios, mas também as reservas subterrâneas de água”, alerta a secretária de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Andréa Vulcanis.

Equipes da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), Corpo de Bombeiros e brigadistas voluntários têm trabalhado para combater queimadas, e o governo pede que população mantenha vigilância e tome os devidos cuidados em áreas com vegetação seca.

A Semad reforça que são imprescindíveis cuidados com escapamentos de veículos nas estradas e ações educativas, como não jogar bitucas de cigarros ou palitos de fósforos pela janela de veículos, por exemplo.

É importante ressaltar que em 98% dos casos, os incêndios são provocados, como foi o caso da queimada que consumiu mais de mil hectares dos Parques Estaduais Altamiro de Moura Pacheco e João Leite desde a última quinta-feira, 12.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.