Secretaria de Enfrentamento à Covid-19 emite nota a favor da vacinação de crianças

A nota foi enviada para o Supremo Tribunal Federal (STF) nesta segunda-feira, 27, e deve ser incluída em uma ação movida pelo PT

A Secretária Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19, Rosana Leite de Melo, enviou nesta segunda-feira, 27, uma nota técnica para Supremo Tribunal Federal (STF) em que afirma que a vacina para crianças de 5 a 11 anos é segura.  

O posicionamento põe em xeque o entendimento do presidente Jair Bolsonaro (PL) e do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que têm criticado a segurança do imunizante, mesmo após a aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). 

A nota da pasta, que é vinculada ao Ministério da Saúde (MS), já foi apresentada ao ministro Ricardo Lewandowski em uma ação que foi movida pelo PT. Esta ação pede que crianças de 5 a 11 anos sejam incluídas no Plano Nacional de Imunização (PNI) contra a Covid-19 e o ministro já se manifestou anteriormente, dando 48 horas para que o governo federal se manifeste sobre a inclusão deste público.  

De acordo com a nota, antes da recomendação da vacinação contra a Covid-19 para crianças, houve uma série de testes clínicos em milhares de crianças, que não tiveram nenhuma preocupação séria de segurança e acrescenta que a imunização destas crianças contribuirá para a redução da transmissão do vírus e reitera que os benefícios da vacina superam os eventuais riscos.  

“A elevada cobertura vacinal contribuirá para redução da transmissão do Sars-CoV-2 neste grupo e, por conseguinte, reduzirá a transmissão de crianças e adolescentes para adultos, idosos e imunocomprometidos. Além disso, atenuar as interrupções na educação das crianças mantendo a segurança e bem-estar são benefícios indiscutíveis a serem considerados”, diz a nota técnica da secretaria extraordinária. 

A nota é uma resposta à resistência do Governo Federal para iniciar a imunização das crianças de 5 a 11 anos de idade. Desde a liberação da vacina Pfizer para essa faixa etária, o governo não tem recomendado a imunização, por “desconfiança” por parte do presidente da República, que pede que a vacinação seja feita apenas com prescrição médica (o que não acontece nas outras faixas etárias).  

A importância da vacinação também é lembrada pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e pela Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), que entendem que os benefícios da vacinação na população de crianças de 5 a 11 anos, com a vacina Comirnaty, no contexto atual da pandemia. superam os eventuais riscos associados à vacinação. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.