Secretária da Economia diz que tem plano de ação para incrementar receita e que vai rever incentivos

Cristiane Schmidt, que foi alvo de protestos em visita à Alego, deixou a Casa sem falar com a imprensa

Foto: Felipe Cardoso/Jornal Opção

Em visita à Assembleia Legislativa de Goiás na tarde desta quarta-feira, 27, a secretária da Economia, Cristiane Schmidt, disse que tem plano de ação para incrementar a receita do Estado e que pretende rever a renúncia fiscal atual de Goiás.

Segundo ela, o Estado deixa de arrecadar R$ 8 bilhões devido aos incentivos fiscais. “Só o Fomentar e Produzir têm renúncia de R$ 2,5 bi. Temos uma arrecadação anual de R$ 15 bilhões e renúncia de cerca de 50%”, disse.

O plano para incremento da receita, por sua vez, está sendo articulado na Secretaria da Economia, conforme explicou Schmidt. “Tivemos uma reunião fantástica com nossos auditores na terça-feira, 26, para intensificarmos as operações e fiscalizações”, disse. Além disso, pretende aperfeiçoar o Marco legal tributário. Esse estudo dos incentivos, inclusive, faria parte desse plano.

Ocorre que, como publicado pelo Jornal Opção, os auditores anunciaram paralisação na manhã desta quarta, 27. E já informaram que não vão trabalhar nessas fiscalizações como informou a secretária na Alego.

A titular ainda voltou a defender a Reforma da Previdência. “O buraco previdenciário é gigante, temos um déficit de R$ 2,7 bi para este ano. Precisamos frear esse crescimento exacerbado ou vamos sofrer a longo prazo. O diagnóstico da situação da previdência em Goiás está em curso e deve ser finalizado daqui uns 5 meses”, afirmou.

No final da apresentação, a secretária foi questionada por alguns deputados sobre as informações repassadas. Talles Barreto (PSDB) disse que há discrepância entre os dados mostrados por Cristiane e os oferecidos pelo próprio governo anteriormente.

Lêda Borges (PSDB) não concordou com os argumentos da secretária para o atraso no salário de dezembro que ainda não foi quitado. Sem direito à réplica, a deputada deixou a sessão em protesto.

Lucas Calil (PSD) criticou a explanação feita por Schmidt que, na sua visão, “não trouxe nada de novo” e disse que os dados mostrados eram facilmente encontrados no Google.

Schmidt deve retornar à Casa em duas semanas para apresentar os resultados do último quadrimestre de 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.