“Os dados apresentados não são verdadeiros”, diz secretária sobre supostos desvios da merenda escolar

Neyde Aparecida garante que não pode afirmar com certeza se houve ou não desvio da merenda com base em denúncias “ainda sem fundamento”

Secretária de Educação Neyde Aparecida: "Tenho certeza que de minha parte não há nenhuma ingerência na questão da merenda" | Foto: Fernando Leite/ Jornal Opção (2012)

Secretária de Educação Neyde Aparecida: “Tenho certeza que de minha parte não há nenhuma ingerência na questão da merenda” | Foto: Fernando Leite/ Jornal Opção (2012)

Com as denúncias de desvio de merenda escolar nas escolas de Goiânia em evidência na Câmara Municipal, a secretária municipal de Educação, Neyde Aparecida, disse na manhã desta quinta-feira (26/5), no Paço Municipal, que os documentos apresentados pelos vereadores na Câmara Municipal de Goiânia estão equivocados. Entrevista foi concedida durante evento de assinatura de parceria entre Prefeitura de Goiânia e empresa Net, que levará Internet banda larga e TV a cabo para escolas municipais.

De acordo com a chefe da pasta, os documentos foram entregues por equívoco pelo departamento. “Esses dados não são verdadeiros. O funcionário estava de férias, veio, pegou as entradas e saídas, dividiu igualmente em todas as escolas e mandou pro vereador’, disse, garantindo que por isso dados foram lançados erroneamente.

A secretária se refere ao Departamento de Alimentação Educacional (Dale), responsável pelo lançamento de dados. O diretor Wesley Batista e outros funcionários da pasta já foram afastados. Conforme Neyde, quando o funcionário percebeu o erro, solicitou que fosse feita uma errata, que foi entregue à Câmara Municipal. “Mas os vereadores simplesmente não estão considerando o documento, nem que o departamento disse que foi um equívoco.”

Foram apresentados pelo vereador Elias Vaz (PSB) papeis que mostram supostos desvios e irregularidades na distribuição de produtos para a confecção da merenda escolar (bolos de baunilha, biscoito de polvilho e pães do tipo mandi e de milho), o que configura cerca de R$ 1,4 milhões desviados. Além disso, o vereador também denunciou que 190 toneladas de carne compradas pela prefeitura não chegou às escolas.

Em novembro de 2014, por exemplo, constatou-se uma discrepância de quase 50% na quantidade de carne adquirida pela secretaria e o que foi efetivamente entregue para consumo dos alunos.

“Se houve desvio, garanto que por minha parte não foi”

Antes de explicar que a discrepância de valores foi devido a erros no momento de redigir o documento, questionada sobre o assunto, a secretária respondeu que não poderia fazer julgamento apenas por haver denúncia. Conforme Neyde, “uma denúncia ainda sem fundamento” não a fará dizer com certeza se há ou não desvio com antecedência.

“Tenho certeza que de minha parte não há nenhuma ingerência na questão da merenda, porque isso é uma coisa de muita responsabilidade. Goiânia tem ganhado prêmios por boa gerência e por oferecer uma alimentação saudável a crianças. Vário prêmios”, afirmou a petista.

Chefe da comissão que investiga a secretaria que chefia, Neyde informa que grupo está trabalhando no fechamento de dados de um ano, para concluir como foram feitas as entradas, saídas e pagamento de alimentos.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.