“Se confirmada gravação, teremos que encarar impeachment”, diz deputado tucano

Fábio Sousa avalia como gravíssima a denúncia feita pelo presidente da J&F, mas defende que é preciso aguardar desenrolar dos fatos

Deputado Fábio Sousa | Foto: Zeca Ribeiro / Câmara dos Deputados

O deputado Fábio Sousa (PSDB-GO) disse ao Jornal Opção que as denúncias que arrebataram o país na noite desta quarta-feira (17/5) envolvendo o presidente Michel Temer (PMDB) são “gravíssimas” e colocam em xeque o futuro do governo.

Para o tucano, é preciso aguardar a confirmação do conteúdo da delação de Joesley Batista, presidente da holding J&F (que comanda a JBS e dezenas de empresas), que afirma ter gravado o presidente dando aval para a compra do silêncio do ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

“O homem público precisa agir com cautela. Por isso defendo que aguardemos o desenrolar da informação. Se confirmada a gravação, os fatos vão falar por si. As instituições estão acima das pessoas”, defendeu.

Questionado se o país está preparado para um novo processo de impeachment — que inclusive já foi protocolado na Câmara Federal — Fábio Sousa afirma que é algo que “teremos que encarar”.

“A Argentina entre 1999 e 2003 foi assim. Foram quatro presidentes diferentes em cinco anos. Eu não gostaria de ver o Brasil na mesma situação, mas repito: é gravíssimo o que acontece com o presidente Temer”, argumentou.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.