Irista sairá do bloco moderado caso grupo apoie tucano

Paulo Magalhães acha que independentes vão apoiar nome da base do governador. Ele pretende não votar em nenhum candidato da prefeitura e, assim, ficar neutro

Paulo Magalhães (SD) ameaça sair do bloco moderado | Foto: Alberto Maia/Câmara de Vereadores

Paulo Magalhães (SD) ameaça sair do bloco moderado | Foto: Alberto Maia/Câmara de Vereadores

O bloco moderado na Câmara Municipal de Goiânia, formado por quatro vereadores independentes, fechou parceria com três parlamentares para que possam votar em conjunto na escolha da nova Mesa Diretora da Casa, no próximo dia 15 de dezembro.

Zander Fábio (PSL), Divino Rodrigues e Paulo da Farmácia (ambos do Pros), e Bernardo do Cais (PSC) são os principais, enquanto Welington Peixoto (Pros), Rogério Cruz (PRB) e Paulo Magalhães (SD) reforçam o grupo.

Simpatizante do ex-goverandor Iris Rezende (PMDB), este último vereador adiantou ao Jornal Opção Online nesta quarta-feira (12/11) que pretende abandonar o barco caso o bloco opte por apoiar um candidato do PSDB nas eleição para a presidência da Câmara. “Se caminhar para o lado do Marconi [Perillo, do PSDB, governador do Estado], vou sair do bloco. Sou irista de nascença e da base do prefeito Paulo Garcia [PT]”, relatou.

Mesmo assim, disse que não quer votar nos pré-candidatos da base do petista que estão sendo ventilados, como a líder do prefeito, Célia Valadão (PMDB), e o presidente da Casa, Clécio Alves (PMDB). “Vou ficar neutro na votação.”

A justificativa de Paulo Magalhães é a de que os nomes não o satisfazem, seja pela demora da conclusão da reforma do plenário, pelo trato político dado por eles ou pela rejeição a projetos de sua autoria, como a implantação de ponto biométrico.

De acordo o vereador, “pelo andar da carruagem”, o bloco moderado irá caminhar para o lado de um possível candidato da base do governador.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.