Se as eleições fossem hoje, Bolsonaro perderia para qualquer um dos seus principais adversários, aponta pesquisa

O atual presidente do Brasil perderia para Lula, Mandetta, Ciro, Haddad e Doria no segundo turno, como mostra pesquisa da Atlas Político

Segundo uma pesquisa da Atlas Político, realizada entre a segunda-feira, 26 e quinta, 29, se as eleições fossem hoje, Jair Bolsonaro (sem partido) perderia no segundo turno para seus principais concorrentes que seriam Lula, Mandetta, Ciro, Haddad e Doria. Além disso, o estudo mostrou rejeição de 62% ao presidente que seria devido a corrupção envolvendo a compra das vacinas contra a Covid-19 e a péssima gestão do país durante a pandemia.

Em uma simulação contra seu principal rival, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o petista venceria Bolsonaro por 49,2% contra 38,1%, no segundo turno. Isso mostra que Lula aumentou sua vantagem em relação a última pesquisa. A rejeição em relação ao petista também diminuiu. Em maio de 2020, 60% não apoiavam Lula, hoje esse número caiu para 54%.

Ciro Gomes,  Luiz Henrique Mandetta, Fernando Haddad e João Doria também venceriam o atual presidente no segundo turno. Gomes ganharia de 43,1% a 37,7%, o ex-ministro da saúde Mandetta de 42,9% a 37,5%, o último candidato do PT Haddad de 41,9% a 38,4% e o atual governador de São Paulo, Doria de 40,6% a 38,1%. O surgimento de uma possível vitória de João Doria em uma eleição contra Bolsonaro é uma novidade que apareceu nessa última pesquisa. Antes, em maio, Doria aparecia com 6,1% de pontos atrás do presidente.

A popularidade de Bolsonaro vem sofrendo uma baixa desde o início da pandemia. Com inúmeras atitudes desrespeitando os protocolos de segurança impostos pela OMS e o descaso com as vacinas, o presidente agora enfrenta acusações de corrupção na CPI da Covid. Suas atitudes refletem nas estáticas de rejeição. Em relação aos evangélicos, grupo que o apoiou fortemente na última eleição, Bolsonaro tem uma aprovação de 52% contra 45% que o desaprovam. Os católicos o rejeitam em 69% contra 29% de aprovação.

Quando o assunto são quais as regiões do Brasil que mais rejeitam Bolsonaro, temos o Nordeste e o Sul do país como líderes. O Nordeste apresentou um índice de rejeição de 73% e o Sul de 65%. Agora quando olhamos para a faixa etária de idade que mais rejeita o presidente, temos o grupo de 16 a 24 anos com 73% de rejeição e 76% da faixa dos 60 aos 100 anos. Em relação ao gênero, mulheres rejeitam mais o presidente (70%) do que os homens (53%).

A pesquisa tem 2 pontos porcentuais de margem de erro para cima ou para baixo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.