Sanção de MP 987 deve trazer R$2 bilhões em investimentos e gerar 27 mil empregos em Goiás

A medida provisória recebeu sanção presidencial nesta quarta-feira, 28, com participação de governador Ronaldo Caiado

Governador Ronaldo Caiado participou de solenidade em que MP 987 foi sancionada | Foto: Divulgação

O presidente Jair Bolsonaro sancionou, nesta quarta-feira, 28, em Brasília, a MP 987, que dispõe sobre a concessão de incentivos fiscais para indústrias automobilísticas instaladas na região Centro-Oeste, Norte e Nordeste do Brasil. O governador Ronaldo Caiado (DEM) participou da solenidade.

De acordo com Caiado, a expectativa é de que com a sanção sejam investidos pelo menos R$2 bilhões em Goiás, que deverão assegurar 27 mil empregos diretos e indiretos. “Significa a sobrevivência e, mais do que isso, a expansão das indústrias automobilísticas”, afirmou.

De acordo com o governador, já está previsto que a Caoa, em Anápolis, invista cerca de R$ 1,5 bilhão e a Mitsubishi, em Catalão, R$ 500 milhões. “Ao mesmo tempo, a John Deere, como também outras [empresas] que virão”, destacou. Além do fortalecimento das montadoras, haverá espaço também para empreendimentos de porte menor, que proporcionam produtos e serviços. São as denominadas empresas satélites, que fornecem todo o material para a montagem do carro. 

A medida havia sido aprovada no Senado no último dia 6, como PLV 40/2020. Com a sanção, empresas automotivas nas regiões contempladas tem até dia 31 de outubro de 2020 para apresentar projetos de novos produtos e, assim, obter o crédito presumido do IPI. Ele poderá ser usado para descontar o valor a pagar a título de PIS e Confins.

Para ser contemplado, as empresas devem cumprir com patamares mínimos de investimentos em inovação tecnológica, desenvolvimento e pesquisa.

Pandemia

O governador Ronaldo Caiado, que é médico, falou também sobre a vacinação contra a Covid-19. Ele enfatizou que não será obrigatória, mas deve ocorrer em paralelo com uma política de conscientização intensa para que a população seja imunizada. “A obrigatoriedade é difícil de impor. A ideia é fazer uma política de esclarecimento da importância do Programa Nacional de Imunização. Uma política de conscientização das pessoas”, disse. 

Caiado relembrou que o importante é que o medicamento seja aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), não a origem da vacinas, quando questionado sobre o assunto. 

Sobre a possibilidade de retorno das torcidas aos estádios de futebol, o governador argumentou que os dados sobre a retomada de diversas atividades está em avaliação. “Minha responsabilidade é muito grande. Não adianta ir para um avanço se depois teremos contaminados. Estamos levando o momento dentro da cautela que tivemos”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.