Câmara convoca Samuel Almeida após nova declaração polêmica contra vereadores

Vereadores querem explicações de suposta declaração do secretário de Iris de que não negociará reajuste da data-base dos servidores municipais com os parlamentares

Vereadores assinam requerimento de convocação do secretário Samuel Almeida | Foto: Larissa Quixabeira / Jornal Opção

A indisposição entre o secretário de Governo de Iris Rezende (PMDB), Samuel Almeida, e os vereadores da Câmara Municipal de Goiânia ganha mais um capítulo. O secretário que deveria fazer a articulação entre o Legislativo é o Executivo teria dito a servidores municipais que não iria negociar reajuste da data-base com vereadores porque eles só estão atrás de cargos na prefeitura.

Na última quarta-feira (23/8), Samuel Almeida e outros dois secretários de Iris, Rodrigo Melo (Administração) e Oseias Pacheco (Finanças), se reuniram com representantes sindicais para discutir a questão do reajuste, que deveria ter sido concedido em maio. Segundo sindicalistas, nenhuma proposta foi feita.

Diante das supostas declarações de Samuel Almeida, a maioria dos vereadores, aprovou na manhã desta quinta-feira (24/8) um requerimento convocando o secretário para ir a plenário prestar esclarecimento.

A convocação, de autoria do vereador Jorge Kajuru (PRP), teve assinatura de quase todos os parlamentares da Casa, inclusive vereadores da base de Iris Rezende, como Vinícius Cirqueira (Pros) e Clécio Alves (PMDB), que não escondem descontentamento com o secretário de Governo.

O autor do requerimento, Kajuru disse que quer saber do secretário quem seriam esses parlamentares que estão atrás de cargos. “Ele não pode manchar a image desta Casa. Se tem colegas aqui que estão com essa prática, eu quero que ele dê os nomes e prove, pois terei o prazer de eu mesmo divulgar esses nomes”, afirmou.

Paulo Magalhães, vereador pelo PSD, lembrou que até hoje o prefeito não escolheu um líder na Casa. “Após oito meses, ainda não temos um líder para fazer essa comunicação. Acredito que isso nunca aconteceu na história desta Casa”, lamentou.

Só não assinaram Juarez Lopes (PRB), Oséias Varão (PSB), Romário Policarpo (PTC), Leia Klébia (PSC) e o presidente Andrey Azeredo (PMDB), que estava ausente na sessão.

Apesar de não ter assinado, Juarez Lopes justificou que não é contra a ida do secretário à Câmara. “Quando a gente denuncia ou afirma alguma coisa, deve ouvir a outra parte. Acho bonito o que está sendo feito aqui, porque tem que dar o direito para que a pessoa venha. Talvez seja hora de ouvir a outra parte”.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.