Saiba quais são os deputados federais goianos com maior número de faltas na Câmara

Com 108 ausências, Magda Mofatto é a parlamentar com menor assiduidade 

José Cruz/Agência Brasil

Francisco Costa

Com informações do site Ranking dos Políticos (politicos.org.br), o Jornal Opção realizou um levantamento sobre os deputados federais que mais faltaram à sessões no Congresso. Vale ressaltar que foram consideradas, também, as faltas justificadas.

Nestes termos, a deputada com menor assiduidade é Magda Mofatto (PR) que, das 395 sessões, esteve em 287. Ao todo, foram 28 faltas justificadas e 80 não justificadas. Heuler Cruvinel (PP) teve 337 presenças, mas ele está no mandato há 370 sessões.

Em continuidade, Flávia Morais (PDT) esteve em 337 sessões, das 395; Marcos Abrão (PPS), 346; Daniel Vilela (MDB), 350; Roberto Balestra (PP), 351; Giuseppe Vecci (PSDB) e João Campos (PRB), 356; Delegado Waldir (PSL), 357; Fábio Sousa (PSDB), 359; Rubens Otoni (PT), 364; Lucas Vergílio (SD), 366; Célio Silveira (PSDB), 383; e Pedro Chaves (MDB), foi o menos faltoso, com 392 presenças. Ainda aparecem, com menos sessões, Thiago Peixoto (PSD), que esteve na Câmara 227 ocasiões, de 239; e Sandes Júnior (PP), 239 de 252.

O advogado eleitoral Guilherme Pato explica que, quanto às penalidades pelas faltas, a Constituição Federal estabelece que o congressista perderá o mandato se deixar de comparecer, a cada sessão legislativa, à terça parte das sessões ordinárias. Ou seja, das 395 sessões computadas no site, seriam necessárias cerca de 132. “Se houver justificativa ou o parlamentar estiver de licença ou em missão autorizada, não conta”, pontua o jurista.

Questionado sobre uma possível benevolência da lei, Guilherme diz que é preciso levar em consideração que o trabalho do parlamentar não se resume ao plenário da casa legislativa ou ao seu gabinete. “Muitas vezes, o trabalho do parlamentar é externo, aferindo as necessidades e as reivindicações da população em suas bases. Porém, a presença às sessões também são importantes e obviamente fazem parte do exercício das funções. Então é preciso equilibrar estes pontos.”

Inclusive, ele destaca, que a importância do comparecimento às sessões legislativas é indiscutível. “Projetos de lei, proposições e deliberações de suma importância para a população são discutidos em todas as sessões. É certo, ainda, que em determinados casos, a falta de parlamentares pode ocasionar atrasos na discussão de importantes temas, pois para a votação de algumas matérias se exige um número mínimo de congressistas presentes no ato.”

Assiduidade

Magda Mofatto (PR): 28 (Faltas Justificadas), 80 (Faltas Não Justificadas), 287 presenças (395 sessões)

Heuler Cruvinel (PP): 8 (FJ), 27 (FNJ), 335 presenças (370 sessões)

Flávia Morais (PDT): 52 (FJ), 4 (FNJ), 337 presenças (395 sessões)

Marcos Abrão (PPS): 31 (FJ), 16 (FNJ), 346 presenças (395 sessões)

Daniel Vilela (MDB): 32 (FJ), 12 (FNJ), 350 presenças (395 sessões)

Roberto Balestra (PP): 33 (FJ), 11 (FNJ), 351 presenças (395 sessões)

Giuseppe Vecci (PSDB): 18 (FJ), 21 (FNJ), 356 presenças (395 sessões)

João Campos (PRB): 21 (FJ), 18 (FNJ), 356 presenças (395 sessões)

Delegado Waldir  (PSL): 36 (FJ), 2 (FNJ), 357 presenças (395 sessões)

Fábio Sousa (PSDB): 15 (FJ), 20 (FNJ), 359 presenças (395 sessões)

Rubens Otoni (PT): 6 (FJ), 23 (FNJ), 364 presenças (395 sessões)

Lucas Vergílio (SD): 18 (FJ), 11 (FNJ), 366 presenças (395 sessões)

Thiago Peixoto (PSD): 4 (FJ), 8 (FNJ), 227 presenças (239 sessões)

Sandes Júnior (PP): 9 (FJ), 3 (FNJ), 239 presenças (252 sessões)

Célio Silveira (PSDB): 10 (FJ), 2 (FNJ), 383 presenças (395 sessões)

Jovair Arantes (PTB): 5 (FJ), 4 (FNJ), 385 presenças (395 sessões)

Pedro Chaves (MDB): 3 (FJ), 0 (FNJ), 392 presenças (395 sessões)

Fonte: Ranking dos Políticos

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.