Conforme especialista, ações como guardar adequadamente todos os comprovantes de gastos com educação e saúde e outras como doações e realização de previdências privadas contribuem

Foto: Reprodução

Ainda é possível garantir uma restituição de Imposto de Renda maior para o ano que vem. Segundo o diretor executivo da Confirp Consultoria Contábil, Welinton Mota, mesmo que 2019 já tenha chegado a metade, é possível aumentar os valores a serem recebidos, em especial, com previdência privada e doações que podem ser abatidas.

“Mas é importante correr, pois, depois que acabar o ano nada mais pode ser feito. A tão falada cultura do brasileiro de deixar o imposto de renda para última hora não tem apenas reflexo em erros que podem levar a malha fina, ela também tem como resultado a diminuição da restituição dos contribuintes. Existem ferramentas legais que fazem com que essa restituição seja muito maior”, explica.

Conforme Welinton, ações como guardar adequadamente todos os comprovantes de gastos com educação e saúde e outras como doações e realização de previdências privadas contribuem. “A primeira coisa que deve ser avaliada para ter a restituição, é se houve valores retidos, caso contrário não há o que se restituir”, informa.

Mais informações

Segundo ele, no caso de abatimento de plano de previdência privada isso só ocorre quando é feito no modelo PGBL, em um limite de 12% do valor tributável total, antes de qualquer dedução. Ele explica, ainda, que também é dedutível do imposto de renda para quem já contribui para os sistemas previdenciários oficiais. Neste caso, o trabalhador do setor privado, autônomo ou funcionário público.

Em relação a despesas médicas, odontológicas, instruções e pensões alimentícias judiciais, os documentos guardados garantem a restituição, mas as informações têm que ser autênticas. “O Fisco está fechando o cerco às informações irregulares a partir de evoluções tecnológicas e cruzamento de informações. Tudo o que for declarado deve ser comprovado adequadamente”, alerta.

Welinton também sugere doações como forma de direcionar o dinheiro que paga ao Governo para ações que tragam benefícios para a comunidade. Esta opção ele dá para aqueles que fazem a declaração completa do Imposto de Renda.

Ele revela que o limite é de 6% do IR devido é para as destinações aos fundos de direitos da criança e do adolescente, bem como as doações e os patrocínios para projetos enquadrados como incentivo a atividades culturais, artísticas e audiovisuais.