A medida foi anunciada após o ministro alegar desconhecimento do órgão do qual é titular a respeito de uma suposta visita secreta de um ministro venezuelano ao território brasileiro

O líder da oposição no Congresso Nacional, Ronaldo Caiado (DEM) vai acionar a Procuradoria Geral da República (PGR) contra o ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo, por crime de responsabilidade. Esse tipo de infração é definida pelo envolvimento de um agente do alto escalão do governo em condutas ilícitas de cunho político.

A medida foi anunciada após o ministro alegar desconhecimento do órgão do qual é titular a respeito de uma suposta visita secreta de um ministro venezuelano ao território brasileiro para firmar acordos com o MST. Na Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados na manhã desta quarta-feira (19/11), Figueiredo disse que o Itamaraty não considera como acordo formal convênios firmados entre um governo de outro país com uma organização como a dos Sem Terra.

“Posso sentir o constrangimento por parte de vossa excelência, pois sei que a formação do Itamaraty é outra, embora hoje esteja subjugado aos interesses ideológicos do governo”, afirmou Caiado. “Mas tudo está tomando uma proporção muito grave. Estamos tratando aqui de uma questão de segurança nacional. Estão agredindo a Constituição e desrespeitando todos os tratados aos quais o Brasil é signatário.”

O democrata questionou o ministro sobre detalhes do acordo e quais medidas o Iatamaraty estaria tomando sobre o caso. “O MST nunca foi referência em nada além de invasão. A Venezuela só é referência em repressão. O que essa troca de experiências quer criar? Uma milícia paramilitar aos moldes da criada por Chávez e Maduro?”, questionou.

O deputado Ronaldo Caiado (Democratas-GO) também apresentou ao ministro a recente denúncia do Ministério Público Federal de Goiás de que crianças e adolescentes estariam sendo recrutados para serem doutrinados em cursos na Venezuela. “É tudo muito estranho. Já recrutaram dezenas de jovens goianos para uma tal ‘Brigadas Populares de Comunicação’. Repito novamente: além de repressão a movimentos opositores e falta de papel higiênico, a Venezuela é referência em quê para treinar nossos garotos”, protestou Caiado.”