Ronaldo Caiado anuncia que moverá ação contra federalização da Celg

Candidato ao Senado, deputado federal do DEM já havia afirmado que buscaria barrar a negociação em artigo de opinião publicado no início do mês

Como já havia adiantado em artigo publicado no último dia 4 no jornal “Folha de São Paulo”, o deputado federal Ronaldo Caiado (DEM) anunciou nesta quarta-feira (27/8) por meio de sua assessoria de imprensa que já acionou advogados especialistas para mover uma ação contra a federalização da Celg. A iniciativa se dá um dia após os conselhos da fornecedora goiana e da Eletrobras assinarem a promessa de compra e venda, essencial para a futura transferência de 51% das ações à estatal federal –– que deve se dar no prazo de até três meses, conforme o trâmite previsto pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Candidato ao Senado na chapa encabeçada pelo peemedebista Iris Rezende, o democrata pretende barrar a negociação, que segundo argumenta, “se comprovou lesiva aos goianos”. Para Ronaldo Caiado, a assinatura concretizada no final da tarde de ontem fez com que os goianos sofressem uma “de suas maiores derrotas”.

O democrata classificou de “míseros” os R$ 59 milhões que teriam sido acordados pelos 51% das ações da Celg, conforme divulgado pela imprensa. O valor citado pelo senatoriável, entretanto, não é confirmado por representantes da fornecedora, que dizem que ele refere-se somente à exploração dos serviços até 2015. Fonte ligada à companhia consultada pelo Jornal Opção Online assegura que com a cláusula que trata sobre a prorrogação da concessão de exploração até 2045, o montante pode chegar a bilhões de reais, sendo que conforme divulgado pela imprensa na última terça-feira, a partir de nova avaliação de valores, esse valor pode chegar a R$ 16 bilhões.

“Não é mais nem preço de banana. É doação! Estudo da UFG estimou o valor real da Celg em R$ 6,5 bilhões, chegando a R$ 15 bilhões em 2015″, argumenta Caiado, que ao final da nota enviada à imprensa, classifica o acordo de “absurdo” e lembra que o mesmo se dá em “período eleitoral”. “A única certeza é que Goiás perdeu”, conclui o democrata.

No artigo em que explicitou a intenção de intervir no processo, iniciado em 2011, Caiado disse: “Pedirei explicações ao Ministério de Minas e Energia sobre a condução dos entendimentos, o seu desfecho neste momento eleitoral e vou recorrer à Justiça se essa federalização realmente ocorrer, sempre em defesa do Estado de Goiás”.

À época da divulgação do texto na imprensa nacional o Jornal Opção Online ouviu o diretor de Regulação da CelgD e vice-presidente da CelgPar, Elie Chidiac, que rebateu as críticas e sustentou que Ronaldo Caiado desconhece o conteúdo do contrato que rege a negociação que resultará na federalização da fornecedora goiana. “Fico surpreso com as declarações. A lei permite que nós façamos essa negociação. Então, quem somos nós para discutir a lei? Todo mundo quer jogar no quanto pior melhor e isso não é justo com a empresa”, frisou na ocasião.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.