Roberto Jefferson vai cumprir prisão domiciliar

Além de permitir a prisão domiciliar, STF ainda determinou que Jefferson utilize tornozeleira eletrônica e que não receba visitas pessoais. Jefferson estava detido desde agosto de 2021

O ex-deputado federal Roberto Jefferson (PTB) vai cumprir prisão domiciliar. A foi a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes. Ele teve como base trechos do Código de Processo Penal, que prevê o benefício para pessoas “extremamente debilitadas por motivo de doença grave”. O ministro determinou que ele deve usar tornozeleira eletrônica, que não poderá receber visitas pessoais, apenas acompanhamento médico, além de tê-lo proibido de conceder qualquer tipo de entrevista.

A defesa de Jefferson, que ocupava a presidência do PTB, alegou problemas de saúde e risco de morte. O ex-deputado teve um quadro de infecção respiratória semelhante à Covid-19 na semana passada. Essa não foi a primeira vez que o político teve complicações de saúde e foi levado, temporariamente, para exames fora do presídio.

Jefferson estava detido desde agosto de 2021 por determinação de Moraes por suspeita de envolvimento com uma milícia digital que atua contra a democracia. Em dezembro, o ministro já havia negado um pedido de soltura do ex-deputado sob o argumento de que a manutenção da prisão é necessária e imprescindível à garantia da ordem pública e à instrução criminal.

Jefferson já teve outros pedidos negados pelo Supremo, mas Moraes não apenas manteve a prisão do ex-deputado, como também o afastou do político da presidência do PTB.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.