Roberto Jefferson é denunciado pela PGR contra crimes a segurança nacional, incitação ao crime, homofobia e calúnia

Jefferson foi preso no último dia 13 de agosto pela Polícia Federal

O presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, foi denunciado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) por crimes contra a segurança nacional, incitação ao crime, homofobia e calúnia. Este último cometido contra o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

Assinado pela subprocuradora-geral da República, Lindôra Araújo, a denúncia cita ao menos sete manifestações públicas feitas por Jefferson que indicam os crimes cometidos. O documento foi encaminhado no dia 26 de agosto ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Em uma das passagens, Lindôra afirma que Jefferson “incentivou o povo brasileiro a invadir a sede do Senado Federal e a praticar vias de fato em desfavor dos senadores, especificamente dos que integram a CPI da Pandemia, com o intuito de tentar impedir o livro exercício do Poder Legislativo”.

Jefferson já havia sido preso no dia 13 de agosto pela Polícia Federal, por determinação do ministro Alexandre de Moraes. Contudo, sua defesa pediu que ele fosse transferido para prisão domiciliar. O pedido foi acolhido pela PGR com a recomendação que o político usasse caneleira eletrônica. O Supremo ainda não decidiu sobre essa decisão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.