Responsáveis por clínica são presos suspeitos de tortura de internos e cárcere privado

Dois ex-internos, que fugiram do local, revelaram agressões físicas e verbais

Foto: Divulgação/Polícia Civil

A Polícia Civil de Goiás (PCGO), em operação realizada com o apoio da Polícia Militar, fechou a clínica Ágape, voltada para dependentes químicos, onde os internos eram alvos de violência constante, na cidade de Damolândia. O proprietário, Marcello Pedro Santana, e o coordenador terapeuta Diego de Castro foram presos em flagrante durante a ação.

De acordo com informações da Polícia Civil, mais de 30 internos eram mantidos em cárcere privado e coagidos com maus-tratos, que incluíam afogamentos e choques elétricos.

Segundo o delegado Humberto Teófilo, responsável pelas investigações, dois ex-internos, que fugiram do local, prestaram denúncia na delegacia e revelaram as agressões a que eram submetidos.

Com base nas informações, a equipe da operação foi ao local na noite desta quinta-fiera (29/6) para verificação e as denúncias foram confirmadas com os internos. No local também foram encontrados aparelhos de choque, medicamentos e duas armas de fogo.

A clínica era mantida por familiares dos próprios internos, que estão sendo comunicados sobre os fatos para buscarem os parentes na delegacia.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.