Responsáveis por clínica são presos suspeitos de tortura de internos e cárcere privado

Dois ex-internos, que fugiram do local, revelaram agressões físicas e verbais

Foto: Divulgação/Polícia Civil

A Polícia Civil de Goiás (PCGO), em operação realizada com o apoio da Polícia Militar, fechou a clínica Ágape, voltada para dependentes químicos, onde os internos eram alvos de violência constante, na cidade de Damolândia. O proprietário, Marcello Pedro Santana, e o coordenador terapeuta Diego de Castro foram presos em flagrante durante a ação.

De acordo com informações da Polícia Civil, mais de 30 internos eram mantidos em cárcere privado e coagidos com maus-tratos, que incluíam afogamentos e choques elétricos.

Segundo o delegado Humberto Teófilo, responsável pelas investigações, dois ex-internos, que fugiram do local, prestaram denúncia na delegacia e revelaram as agressões a que eram submetidos.

Com base nas informações, a equipe da operação foi ao local na noite desta quinta-fiera (29/6) para verificação e as denúncias foram confirmadas com os internos. No local também foram encontrados aparelhos de choque, medicamentos e duas armas de fogo.

A clínica era mantida por familiares dos próprios internos, que estão sendo comunicados sobre os fatos para buscarem os parentes na delegacia.

Deixe um comentário