Relator de denúncia contra Temer será escolhido na terça-feira

Presidente da comissão, o deputado Rodrigo Pacheco alertou para “momento delicado e grave” pelo qual passa o país

Rodrigo Pacheco, ao centro, presidente da Comissão | Foto: Lúcio Bernardo Jr.

O presidente da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara, deputado Rodrigo Pacheco (PMDB-MG), disse que vai anunciar o nome do relator da denúncia contra o presidente da República, Michel Temer (PMDB), na próxima terça-feira (4).

Como o processo é inédito na Câmara, Pacheco quer tomar cuidado para não adiantar etapas. “É um momento delicado, grave, que exige responsabilidade, isenção e independência, e esta deve ser a postura da comissão diante desse assunto”, afirmou.

Se houver quórum no plenário, o prazo de dez sessões para a defesa de Temer se inicia nesta sexta-feira (30/6). Depois disso, a CCJ terá então cinco sessões para analisar o processo.

O deputado Alessandro Molon (Rede-RJ) apresentou requerimento para que seja ouvido pela CCJ o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, autor da denúncia.

Denunciado

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, denunciou na última segunda-feira (26/6) o presidente Michel Temer ao Supremo Tribunal Federal (STF) pelo crime de corrupção passiva. A acusação está baseada nas investigações iniciadas a partir do acordo de delação premiada da JBS.

O áudio da conversa gravada pelo empresário Joesley Batista, um dos donos da empresa, com o presidente, em março, no Palácio do Jaburu, também é uma das provas usadas no processo. O ex-deputado federal Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) também foi denunciado pelo procurador pelo mesmo crime. Loures foi preso no dia 3 de junho por determinação do ministro Edson Fachin. Em abril, Loures foi flagrado recebendo uma mala contendo R$ 500 mil, que teria sido enviada pelo empresário Joesley Batista, dono da JBS.

Para o procurador, Temer usou Rocha Loures para receber vantagens indevidas. “Entre os meses de março a abril de 2017, com vontade livre e consciente, o Presidente da República Michel Miguel Temer Lulia, valendo-se de sua condição de chefe do Poder Executivo e liderança política nacional, recebeu para si, em unidade de desígnios e por intermédio de Rodrigo Santos da Rocha Loures, vantagem indevida de R$ 500.000 ofertada por Joesley Batista, presidente da sociedade empresária J&F Investimentos S.A., cujo pagamento foi realizado pelo executivo da J&F Ricardo Saud”, diz a denúncia apresentada por Janot.

Deixe um comentário