Reforma política não está “enterrada”, avalia deputado federal goiano

Opinião é do petista Rubens Otoni. Segundo ele, a próxima semana será de intensas discussões, especialmente no Senado. Texto foi aprovado em segundo turno na Câmara

O projeto de reforma política brasileira não está enterrada no Congresso Nacional. A observação é do deputado federal goiano Rubens Otoni. “O texto está sendo debatido e a semana que vem será de votação total na Câmara dos Deputados. Depois, vai para o Senado, que deve ser o centro das atenções nesse mês. A expectativa é que até o fim de junho ela tenha sido apreciada nas duas Casas”, informou.

Os debates, conforme o petista, têm sido acalorados entre os colegas. “Há muitas contradições de aprovação de matéria. Até porque é necessário quórum de, pelo menos, três quintos para se fazer mudanças na Constituição Federal. Não é fácil conseguir essa margem”, avaliou.

O goiano diz ainda que aguarda novos avanços que possam aprimorar o sistema político e eleitoral. “Está muito aquém do que eu pessoalmente esperava e a população também”, pontua.

Os pontos de maior destaque para Rubens Otoni são a diminuição do poder econômico no processo. Até agora, segundo ele, a reforma está praticamente igual ao modelo anterior. “O financiamento privado sempre existiu e nada mudou. O que quero é, pelo menos, a limitação dos valores das doações e dos gastos de campanha”, argumentou, complementando que sua esperança é a de que tais pontos sejam aprovados no Senado.

A Câmara dos Deputados votou em segundo turno trechos da proposta que prevêem o fim da reeleição e mandatos de cinco anos para prefeitos, governadores e presidentes da República. Porém, pontos polêmicos, como o fim do financiamento de campanhas eleitorais por empresas privadas e o voto por dsitritão, foram derrubados, representando grande derrota para o presidente, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Após ser encaminhado ao Senado, o projeto retorna para análise final dos deputados.

Deixe um comentário