Reforma da Previdência pode ser arquivada na Câmara, alerta relator

Vereador do MDB adianta que parlamentares não irão bancar voto contrário aos servidores e defende recuo do Paço

Vereador Wellington Peixoto (MDB) | Foto: Fernando Leite

Sem consenso entre o funcionalismo público municipal e a Prefeitura de Goiânia, o relator do projeto da reforma previdenciária na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), vereador Wellington Peixoto (MDB), afirmou ao Jornal Opção nesta terça-feira (28) que a matéria pode acabar sendo mesmo arquivada na Casa de leis.

A expectativa era para que o vereador apresentasse o parecer ao colegiado durante reunião na última quarta-feira (22), mas sem sinal favorável do Paço acabou adiando o envio para esta semana.

Agora, o vereador cogita entregar o documento até quinta-feira (30), um dia após a CCJ se reunir em sessão ordinária. Segundo Wellington, mesmo que o parecer seja apresentado nesta semana, os vereadores não devem votar contra os servidores e, por isso, defende recuo do Paço na proposta.

Na última semana, no plenário, a reforma voltou a ser debatida entre vereadores. A sessão foi acompanhada mais uma vez por servidores municipais, que lotaram as galerias da Casa, pedindo o arquivamento do texto.

O impasse maior passa pelo aumento progressivo da alíquota de contribuição dos servidores. A categoria sugere que a contribuição seja de 11%. Na proposta enviada pelo Executivo, entretanto, as alíquotas seriam de 12% a partir de 2019; 13% a partir de 2020 e 14% a partir de 2021.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.