Projeto prevê extinção de cargos e economia de gastos 

Na próxima semana, vai tramitar na Assembleia Legislativa de Goiás, um projeto de resolução que deve promover uma reforma administrativa na Alego. A proposta, que será avaliada pela Mesa Diretora da Casa e é comandado pelo presidente Lissauer Vieira (PSB), tem o objetivo de fortalecer o poder, aumentar a transparência, modernizar a estrutura administrativa e economizar recursos com as despesas de custeio.

A reforma deverá ser concluída em duas etapas. Na primeira, será realizada um enxugamento no quadro dos servidores, com a extinção de 90 cargos comissionados e 13 secretarias. Também está prevista a criação da função de chefias de gabinete de deputado e a instituição do terceiro turno.

Segundo estudos da assessoria técnica da Alego, o impacto financeiro estimado é de apenas R$ 241 mil por mês, uma vez que está incluído na soma o reajuste de verbas de gabinete que foram aumentadas pela Câmara.

Os técnicos do Legislativo preveem um aumento no impacto financeiro a longo prazo, com a economia gerada, por exemplo, a partir da adoção do terceiro turno, que praticamente zera o pagamento de horas extras para os servidores nas sessões noturnas do plenário e comissões.

Há expectativa de uma real economia nos gastos a partir da segunda etapa da reforma, que ainda está sendo elaborada e prevê o alcance de mais de R$ 2 milhões mensais.

“Vamos implementar o projeto de reforma administrativa do poder de comum acordo com os deputados e com certeza o Legislativo dará sua contribuição neste momento de dificuldade financeira pela qual passa Goiás e o Brasil”, afirmou Lissauer.