Quadrilha presa em Goiás tinha limite de meio milhão em banco

De acordo  o titular do Grupo Antirroubo a Banco da Delegacia Estadual de Investigações Criminais  um dos sete membros agia de dentro da cadeia em Trindade, Região Metropolitana de Goiânia

Caso condenados, a pena varia de 4 a 16 anos de prisão Foto: Fábio Lima | O Hoje

Caso condenados, a pena varia de 4 a 16 anos de prisão Foto: Fábio Lima|O Hoje

Uma quadrilha acusada de praticar fraudes em cartões de créditos pela web foi apresentada pela Polícia Civil goiana nesta sexta-feira (15/8). Por meio dos golpes a quadrilha conseguiu somar um limite bancário de meio milhão de reais. De acordo com a polícia, um dos sete membros, Renan Simiema Furtado, agia de dentro da cadeia em Trindade, na Região Metropolitana de Goiânia.

Por meio dos golpes a quadrilha conseguiu somar um limite bancário de meio milhão de reais Foto: Fábio Lima | O Hoje

Por meio dos golpes a quadrilha conseguiu somar um limite bancário de meio milhão de reais Foto: Fábio Lima|O Hoje

Segundo o titular do Grupo Antirroubo a Banco da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic), Alex Vasconcelos,  a policia suspeitou do caso quando a mãe do detento, Maria Nilva Mesquita, pediu que repassassem roupas para dentro da cadeia. A solicitação da mãe é normal, porém a marca das peças e a quantidade chamou a atenção da polícia. “Esse pedido nunca havia sido feito. Começamos a investigar e chegamos até os envolvidos”, disse.

O líder da quadrilha Max Dellber Mesquista tinha três mandados em aberto e oito passagens pela polícia por estelionato. Alex Vasconcelos declarou que ele conseguiu obter seis cartões de crédito de grandes empresários de Goiânia com fraudes eletrônicas. “Com os cartões adulterados, eles faziam saques em dinheiro e compravam aparelhos eletrônicos para vender”, afirmou.

Também estão envolvidos no caso o irmão de Max, Muiller Mesquita, a ex-mulher de Renan, Renilda Barbosa, Leonardo José da Silva e, a prima de Renan, Kelly Cristina Silva Lemos. Os suspeitos responderão pelos crimes de associação criminosa, furto mediante fraude e estelionato. A pena varia de 4 a 16 anos de prisão.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.