O deputado Mauro Rubem (PT) antecipa que o Partido dos Trabalhadores já estuda um projeto para a Prefeitura de Goiânia. “Se couber a mim essa tarefa, farei”, confirmou. O petista reforça que ainda é muito cedo para se falar em nomes, mas que já trabalha “nas 13 intervenções” que o próximo prefeito precisará fazer na capital.

“Precisamos pensar em projetos para cuidar do espaço público, defender a cidade da especulação imobiliária e montar as redes que devem atender ao público. Precisamos de uma segurança pública que defenda os direitos humanos, e melhorar os serviços de saúde, educação e assistência social. Ao longo do curso, discute-se nomes”, afirmou o deputado.

Apesar disso, Mauro Rubem acredita que a deputada federal Adriana Accorsi é um nome que desponta para ser a candidata do PT. A petista já despistou em entrevista recente que não tem a intenção de disputar a prefeitura da capital e que quer focar em seu mandato na Câmara dos Deputados, conforme adiantado pela coluna Bastidores, do Jornal Opção. No entanto, integrantes do PT em Brasília apostam que a deputada ainda pode mudar de ideia e colocar seu nome na disputa mais à frente.

“O presidente Lula vai priorizar as eleições nas capitais e nas grandes cidades, por isso, na hora agá, vai chamar Adriana para uma conversa e vai praticamente exigir que seja candidata. Não sei o que poderá acontecer. O que posso dizer é que poucos resistem a um pedido de Lula”, explicou um dos interlocutores, petista experimentado, à coluna Bastidores.

Em entrevista recente ao Jornal Opção, Adriana Accorsi afirmou que “o PT tem muitos nomes para disputar a Prefeitura de Goiânia. A discussão vai acontecer no momento apropriado, e de forma adequada. Chegaremos fortes em 2024, como geralmente acontece, pois participamos da disputa pela Prefeitura de Goiânia há muitos anos”. O Partido dos Trabalhadores já elegeu três prefeitos na capital: Darci Accorsi, Pedro Wilson e Paulo Garcia.

Outros dois nomes aparecem como possíveis candidatos do PT à Prefeitura de Goiânia: o do ex-reitor da Universidade Federal de Goiás (UFG) Edward Madureira e do ex-reitor da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás) Wolmir Amado.

Independente de candidatura, Mauro Rubem afirmou que vai continuar trabalhando por Goiânia, cidade que o elegeu deputado. “Não podemos ser omissos com a destruição que está acontecendo. O capital privado e as grandes organizações estão fazendo o que querem. Virou terra sem lei”, criticou o deputado.