PSDB quer mais eficiência no tempo de campanha para contornar rejeição de Marconi

Estudo apontou que negação ao nome do atual governador é maior entre homens do que mulheres. Legenda tucana pretende estabelecer mais contato com os eleitores

marconi go

Governador teve maior índice de rejeição em Goiânia | Foto: Divulgação/Governo de Goiás

O PSDB goiano pretende aproveitar melhor o tempo de propaganda no rádio e na televisão para contornar os níveis de rejeição do governador Marconi Perillo, candidato à reeleição pelo partido. Segundo pesquisa divulgada nesta segunda-feira (7/7), 20% dos entrevistados reprovaram a gestão, sendo que 11,9% disseram ser péssima e 8,1%, ruim. Goiânia, que tem administração petista, é o lugar onde tucano tem a maior reprovação: a péssima é de 14,9%, e a ruim, de 10,6%.

Atualmente, o PSDB e sua base de sustentação formada por 17 siglas somam cerca de oito minutos de exposição. O corpo a corpo e o maior contato com os eleitores também serão mais intensos, além do uso das mídias sociais. Essas são as perspectivas do presidente estadual da sigla, o advogado Paulo de Jesus.

Para ele, é preciso esclarecer a esse grupo o que está sendo feito pelo governo e o que está sendo planejado para mudar.

No mês passado, o Jornal Opção apurou em parceria com o instituto Fortiori a rejeição dos goianos diante a administração de Marconi Perillo. De acordo com o estudo, o governador e Iris Rezende (PMDB) eram os mais rejeitados, com 29% e 27%, respectivamente. Os dois foram seguidos por Antônio Gomide (PT), com 22%, e Vanderlan Cardoso (PSB), com 19%.

Aprovação

No estudo divulgado nesta segunda-feira, um total de 41,2% dos eleitores goianos analisou que o trabalho de Marconi Perillo é ótimo (9%) e bom (32,2%). Esse índice teve elevação de 4,4 pontos porcentuais de outubro de 2013 até o mês de julho deste ano.

As respostas positivas foram balanceadas entre homens (40,9%) e mulheres (41,5%). Em contrapartida, a reprovação foi predominantemente feita pelo sexo masculino, 21,6% ante os 18,5% feminino. Ainda foram registradas 36,5% que consideraram a administração do tucano como regular.

Na opinião de Paulo de Jesus, o governador fez por onde para chegar a esse resultado. “Cumprimos com o dever de casa e buscamos o retorno”, avaliou. Um ponto considerado importante para a evolução entre outubro e julho foi a inauguração de obras.

“Fomos atrás de recursos para cumprir o que havia sido acordado em 2010. Nesse período, os lançamentos foram intensificados”, relembra, fazendo referência à recuperação da imagem de Marconi Perillo após crise em 2012.

O estudo foi feito em parceria entre o instituto Serpes e o jornal “O Popular”. Foram ouvidos 801 eleitores entre os dias 29 de junho e 4 de julho. A margem de erro é de 3,42 pontos porcentuais para mais ou para menos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.