PROS oficializa pré-candidatura a deputada de vice-prefeita cassada

Anúncio aconteceu durante reunião da sigla em Goiânia. Julgamento contra elegibilidade de Maria Aparecida será retomada nesta segunda-feira (30)

Foto: Reprodução

O Partido Republicano da Ordem Social (PROS) realizou nesta quinta-feira (26/7), em Goiânia, um encontro com pré-candidatos, entre eles, o presidente estadual da sigla em Goiás e pré-candidato a vice-governador Lincoln Tejota e o governadoriável Ronaldo Caiado (DEM). O objetivo da reunião foi oficializar a vice-prefeita de Planaltina de Goiás, Maria Aparecida, como nome do partido para a Câmara Federal em 2018, como substituta de Tejota.

Maria Aparecida dos Santos, conhecida também como Pastora Cida, porém, pode se tornar inelegível antes do início oficial da campanha por conta de um processo que corre no Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO) contra a vice-prefeita e o prefeito da mesma cidade, David Alves, conhecido como Dr. Davi. Os dois tiveram os mandatos cassados no último ano por utilizarem bens e serviços do município para comprar votos para as eleições de 2016.

A decisão, que, de acordo com uma fonte, deveria ser deliberada nesta semana, foi adiada para a próxima segunda feira (30/7) devido a um pedido de vistas. Falta apenas o voto de um dos juízes para que o julgamento chegue ao fim, já que o processo deve ser concluído antes do início das campanhas eleitorais.

O placar está parado com 3 votos a 3 contra a elegibilidade de Cida. Assim, o último veredito dará a ela o direito de se eleger ou não. Caso este voto seja a favor da cassação, a vice e o prefeito ficam inelegíveis por oito anos, contados a partir de 2016.

Bruno Pena, advogado da vice-prefeita, alega que o julgamento está em curso e que a elegibilidade será mantida.

Deixe um comentário