Proposta para aumentar índice de remanejamento já enfrenta resistência na Câmara

Nova LDO tenta, mais uma vez, aumentar para 30% despesas do Executivo sem autorização dos vereadores

Presidente da Comissão Mista, vereador Lucas Kitão | Foto: Fernando Leite/ Jornal Opção

O aumento no índice de remanejamento das despesas (montante que o prefeito pode utilizar sem autorização legislativa) de 21% para 30%, proposto pela Prefeitura de Goiânia para o Orçamento de 2019, já enfrenta resistência na Câmara de Goiânia.

Em entrevista recente ao Jornal Opção, o vereador Lucas Kitão (PSL), presidente da Comissão Mista, informou que tentará reverter, mais uma vez, o aumento. “A preocupação é diminuir o remenajamento”, informou.

O valor de 30% é o mesmo sugerido pela gestão do prefeito Iris Rezende (MDB) no último ano, quando sofreu derrota e acabou aceitando a porcentagem menor. À época, o tema gerou polêmica entre vereadores de oposição, que defendiam índice de apenas 5%.

Mediante o impasse, Iris recuou e aceitou a redução de 9%. Ainda sim, opositores consideraram à época que a Câmara Municipal estava entregando um cheque em branco ao Paço, que passou a utilizar os recursos sem a participação dos vereadores.

Provável alvo de polêmica na Casa, o novo texto será enviado para a Comissão Mista, onde será designado relator que emitirá parecer antes da primeira votação em plenário.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.