Promotora pedirá interdição do Mutirama após acidente que deixou 11 feridos

Leila Maria de Oliveira diz que parque deveria ter sido fechado em respeito às vítimas e quer investigação criteriosa sobre possíveis irregularidades

Leila Maria durante entrevista | Foto: Marcelo Gouveia

A promotora Leila Maria de Oliveira, da 50ª Promotoria de Goiânia, afirmou, durante coletiva de imprensa, que irá exigir na Justiça que a prefeitura interdite o Parque Mutirama até que sejam apuradas as causas do acidente que deixou 11 feridos nesta quarta-feira (26/7).

Em visita ao local, ela destacou que já há pelo menos um inquérito e três ações propostas pelo Ministério Público do Estado de Goiás contra a gestão municipal por diversas irregularidades que vão não só da segurança dos brinquedos, mas de uma série de itens que não são cumpridos.

“Solicitarei o fechamento do parque até que apure o que aconteceu e se saiba se os demais brinquedos estão em condições de serem utilizados ou não, para que não venha a acontecer uma nova tragédia”, explicou.

A promotora lembra que, no dia 21 de julho, solicitou à gestão Iris Rezende (PMDB) informações sobre o andamento das manutenções e medidas tomadas para seguir as recomendações expedidas pelo Corpo de Bombeiros.

“Esses brinquedos são extremamente antigos e não são seguros para as pessoas que frequentam o parque. Foi um grande erro apenas reformar os brinquedos, porque gastou-se um dinheiro que dava para comprar novos”, lamentou.

Leila Maria relata uma “estranheza ímpar” após a decisão da prefeitura de manter o Mutirama aberto: “Em solidariedade às pessoas machucadas e às famílias, esse parque deveria ter sido imediatamente fechado.”

Tragédia

Na tarde desta quarta-feira (26/7), 11 pessoas ficaram feridas, sendo três em estado grave, após um brinquedo no Parque Mutirama quebrar e arremessar visitantes no chão.

Segundo informações preliminares, a atração chamada “Twister”, que eleva cabines no ar e gira, sofreu uma pane, jogando as pessoas ao chão. Vídeos postados nas redes sociais mostram o desespero das pessoas após o ocorrido.

Responsável pelo Mutirama, o diretor Frank Fraga classificou o ocorrido como uma “tragédia” e garantiu que a manutenção é feita periodicamente. O parque não será fechado e segue funcionando normalmente,

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.