Projeto da renegociação da dívida dos Estados pode ser votado já na segunda (1º)

Presidente da Câmara marcou sessão extraordinária também para a manhã da terça-feira. Objetivo é aprovar proposta o mais rápido possível

Presidente da Câmara, Rodrigo Maia durante coletiva de imprensa| Foto: Luiz Macedo/ Agência Câmara

Presidente da Câmara, Rodrigo Maia durante coletiva de imprensa| Foto: Luiz Macedo/ Agência Câmara

O Plenário da Câmara dos Deputados terá sessão extraordinária na segunda-feira (1º/8), às 16 horas, para analisar o projeto de lei complementar com novas regras para o pagamento da dívida dos Estados com a União (PLP 257/16). Também haverá sessão extraordinária na manhã de terça-feira (2) para analisar a proposta.

Originalmente, o projeto apresentado pela então presidente Dilma Rousseff (PT) alonga por mais 20 anos o pagamento dessas dívidas se forem adotadas restrições de despesas por parte dos governos estaduais, principalmente na área de pessoal.

Após negociações fechadas com o governo interino de Michel Temer (PMDB), o relator do projeto, deputado Esperidião Amin (PP-SC), incorporará em seu relatório as novas diretrizes definidas em conjunto: o pagamento de parcelas menores a partir do próximo ano, com aumento gradativo até junho de 2018 e carência até dezembro, e as contrapartidas.

Segundo o acordo, a partir de janeiro de 2017, os Estados começarão a pagar 5,5% da parcela devida, que aumenta mês a mês até atingir 100% em 2018. A ideia é dar fôlego aos Estados para recuperarem suas finanças.

Entretanto, governadores de estados do Norte e do Nordeste consideram que não foram “muito beneficiados” com as novas regras, pois as dívidas se concentram em estados do Sul e do Sudeste.

Pautas principais 
Na sessão ordinária de terça-feira (2), a pauta estará trancada por três medidas provisórias. A MP 723/16 que prorroga, por três anos, o prazo de atuação dos médicos do programa “Mais Médicos” contratados por meio de intercâmbio. O texto beneficia profissionais brasileiros formados no exterior e estrangeiros que trabalham no programa sem diploma revalidado no País.

A MP também prorroga por igual período o visto temporário concedido aos médicos intercambistas estrangeiros inscritos no programa do governo federal. De acordo com o Ministério da Saúde, a medida permitirá que 7 mil profissionais permaneçam no País. Os prazos acabariam em outubro de 2016.

As outras duas MPs (722 e 730) tratam da abertura de crédito extraordinário. Originalmente, a MP 722/16 abria crédito extraordinário de R$ 180 milhões, dos quais R$ 100 milhões para a Presidência da República e R$ 80 milhões para o Ministério do Esporte.

No relatório aprovado na Comissão Mista do Orçamento, os recursos para a presidência foram retirados porque a comissão considerou que os gastos com comunicação institucional (R$ 85 milhões) e publicidade de utilidade pública (R$ 15 milhões) não tinham o caráter de imprevisibilidade e urgência.

Os R$ 80 milhões da pasta do Esporte vão servir para implantação de infraestrutura para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016.

Com a MP 730/16, é aberto crédito de R$ 150 milhões para a Justiça Eleitoral. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o crédito sustentará despesas das eleições municipais deste ano com a compra de alimentação dos mesários e demais despesas de custeio. (As informações são da Agência de Notícias da Câmara Federal)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.